10 perguntas sobre a volta das aulas presenciais em Blumenau

Atividades nas escolas municipais serão retomadas a partir de segunda-feira (8); prefeitura detalhou como será o retorno em entrevista coletiva na manhã desta quarta (3)

A prefeitura de Blumenau detalhou na manhã desta quarta-feira (3) como deve funcionar o retorno das aulas presenciais na rede municipal de ensino, marcado para ocorrer a partir de segunda-feira (8).

Em entrevista coletiva transmitida pela internet, o prefeito Mário Hildebrandt (Podemos), a vice-prefeita Maria Regina Soar (PSDB) e a secretária de Educação Patrícia Lueders explicaram os principais pontos da retomada.

Prefeito Mário Hildebrandt (ao centro), detalha retorno das aulas presenciais em Blumenau, acompanhado pela vice-prefeita Maria Regina Soar e pela secretária de Educação Patrícia Lueders – Foto: Moisés Stuker/NDTVPrefeito Mário Hildebrandt (ao centro), detalha retorno das aulas presenciais em Blumenau, acompanhado pela vice-prefeita Maria Regina Soar e pela secretária de Educação Patrícia Lueders – Foto: Moisés Stuker/NDTV

A secretária lembrou a pesquisa feita com as famílias, que apontou a intenção de retorno às atividades presenciais de 74,8% dos matriculados nos CEIs (Centros de Educação Infantil) e 63% das escolas.

“A pesquisa é exatamente o inverso da consulta que fizemos no ano passado, que mostrava que os pais não tinham intenção de mandar os filhos para a escola naquele momento”, ressaltou.

Protocolos de segurança

De acordo com Patrícia, todas as unidades de ensino da cidade tiveram o Plano de Contingência para o retorno analisado e aprovado. Apesar das particularidades de cada unidade, todos precisarão seguir os protocolos sanitários de prevenção ao contágio pela Covid-19.

Todas as escolas receberão termômetros para aferir a temperatura de servidores, professores e alunos na chegada à unidade. Além disso, serão fornecidos aos profissionais itens como máscaras e álcool em gel. Já para os estudantes, são os pais que precisam encaminhar o aluno já de máscara – e orientado a não retirar.

“Todos são responsáveis. É claro que o poder público é o agente principal, mas professores, servidores e em especial os pais são responsáveis também. Não adianta nós passarmos as orientações se os pais dizem ‘não precisa usar máscara, não precisa usar álcool gel, pode abraçar’, porque esse conceito, ao invés de agregar, vai trazer dificuldades”, destacou o prefeito.

Confira os principais pontos sobre o retorno às aulas presenciais na rede municipal de Blumenau:

1 – Como vai funcionar o ano letivo de 2021? Haverá rodízio de turmas? Como será feito?

O ano letivo começa no dia 8 de fevereiro e as aulas serão divididas em duas modalidades: presencial e remota, pela plataforma Google Sala de Aula. A divisão foi definida com base em uma pesquisa feita com as famílias dos estudantes matriculados na rede municipal de ensino.

Cada escola vai definir o sistema de alternância de turmas, de acordo com o numero de alunos que vai retornar às aulas presenciais e a capacidade da unidade. De modo geral serão três tipos de atendimento: sem alternância, atendendo 100% dos alunos; com rodízio de uma semana presencial e uma online; e com alternância de uma semana presencial e duas semanas online.

De acordo com a Secretaria de Educação, no primeiro momento o atendimento será dividido assim:

CEIs:

  • 11% – um grupo de alunos (sem alternância)
  • 48% – dois grupos de alunos
  • 32% – três grupos de alunos
  • 9% – quatro grupos de alunos

Escolas:

  • 25% – um grupo de alunos
  • 63% – dois grupos
  • 8% – três grupos de alunos

A secretária Patrícia explica que a divisão pode mudar após o início das aulas, já que os pais podem pedir para mudar de sistema (presencial ou online) de acordo com a adaptação.

2 – Como será feita a proteção e prevenção de profissionais e estudantes contra o contágio pela Covid-19?

Cada escola vai receber termômetros para aferir a temperatura de todas que entrarem na unidade – a quantidade será definida pelo número de entradas em cada prédio. Os profissionais receberão máscaras e será disponibilizado álcool em gel. Ainda segundo a secretaria, todos receberam orientação e treinamentos para garantir o cumprimento das normas sanitárias.

3 – Os professores e servidores serão testados para Covid-19 antes do retorno às escolas?

Não. Segundo a secretária Patrícia Lueders, o teste não é uma exigência para a retomadas das aulas presenciais, de acordo com os protocolos em vigor.

4 – Se um estudante ou profissional tiver sintomas da Covid-19 na escola, qual será o procedimento?

De acordo com Patrícia, cada unidade terá uma sala específica para atender pessoas com sintomas, sejam alunos ou servidores. A pessoa será isolada no local e a Vigilância Epidemiológica será acionada para avaliar a situação. Cada caso será verificado individualmente e os procedimento a partir da identificação serão definidos pela Vigilância Epidemiológica, como o isolamento e avaliação das pessoas que tiveram contato com o sintomático, por exemplo.

5 – Serão contratados mais professores para atender as atividades presenciais e remotas?

A princípio, não. A secretária explica que as atividades remotas, aplicadas por meio da plataforma Google Sala de Aula, serão coordenadas por uma equipe a partir da Secretaria de Educação. Em um segundo momento, esta equipe pode ser reforçada com novos professores.

Também pode haver contratação para substituir profissionais com comorbidades que estejam afastados do trabalho, para suprir esta demanda específica.

6 – Os kits de alimentação continuarão sendo distribuídos?

De acordo com Patrícia, os estudantes que optaram por permanecer em ensino remoto vão receber uma pesquisa sobre o recebimento dos kits de alimentação. Já os que retornam às atividades presenciais terão a alimentação disponibilizada na escola. O alunos que são beneficiários do Bolsa-Família continuarão recebendo, mas a retirada do kit passa a ocorrer no CRAS mais próximo da residência, e não mais na escola.

7 – O transporte escolar será retomado?

Sim. Segundo a secretária, os estudantes que tiverem direito ao transporte escolar serão atendidos. Além disso, novas linhas e horários serão incorporadas ao transporte coletivo. De acordo com a assessoria de imprensa do Seterb, os itinerários estão sendo definidos e serão divulgados até sexta-feira (5).

8 – A estrutura das escolas estará preparada para receber os alunos a partir do dia 8 de fevereiro?

Segundo a secretária, sim. Patrícia explica que, apesar de não estrem ocorrendo aulas presenciais, as unidades não ficaram totalmente fechadas, já que os diretores e a equipe de coordenação pedagógica continuou atuando no atendimento à comunidade escolar. Este ano, os diretores já estão em atividade desde o dia 14 de janeiro. Mesmo assim, ela garante que toda manutenção necessária está sendo feita e que as 124 unidades de ensino estarão prontas para receber os estudantes na segunda-feira (8).

9 – Se o Mapa de Risco Potencial mudar para o gravíssimo (vermelho) as aulas podem ser canceladas?

Só com a mudança do mapa, não. Em dezembro de 2020, o governo do Estado incluiu a educação no rol das atividades essenciais, isso significa que as escolas podem funcionar independentemente da classificação de risco da região. O que muda é a quantidade de alunos que podem frequentar a escola ao mesmo tempo. Veja como fica:

  • Gravíssimo (vermelho): máximo de 50% das matrículas ativas do turno;
  • Grave (laranja), Alto (amarelo) e Moderado (Azul): atendimento definido pelo tamanho da sala de aula X distanciamento de, no mínimo, 1,5m.

10 – Estudantes com comorbidades poderão voltar para as aulas presenciais?

Não. De acordo com os protocolos de segurança, os alunos que forem portadores de alguma comorbidade relacionada a Covid-19 deverão permanecer em ensino remoto.

Acesse e receba notícias de Blumenau e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Educação