Sessão decide legalidade da greve de professores em Florianópolis

Após duas decisões opostas, nova sessão deve definir se aulas presenciais deverão acontecer na Capital

A legalidade da greve dos professores em Florianópolis será definida nesta quinta-feira (29), às 10h, em sessão da 3ª Câmara de Direito Público no TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina).

Legalidade de greve na educação será decidida nesta quinta-feira (29) – Foto: Maria Fernanda Salinet/NDLegalidade de greve na educação será decidida nesta quinta-feira (29) – Foto: Maria Fernanda Salinet/ND

No dia 25 de março, a greve foi considerada ilegal pelo desembargador Paulo Ricardo Bruschi. No entanto, a decisão foi suspensa no dia 12 de abril pelo desembargador Vilson Fontana, que restabeleceu a legalidade do movimento.

Após duas audiências de conciliação entre Prefeitura de Florianópolis e Sintrasem (Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal),  sem resultados, a turma da 3ª Câmara realizará julgamento definitivo sobre o tema.

Veja ao vivo:

Entenda a greve

greve foi aprovada pela categoria no dia 21 de março e iniciada no dia 24, quando estava prevista a volta às aulas presenciais no município.

Por conta disso, a Capital ultrapassou no último dia 21 a marca de 400 dias sem aulas presenciais. Na última segunda-feira (26), 35 escolas de ensino básico continuavam em greve, parcial ou total. Havia também 76 creches atingidas pela paralisação, segundo dados da Secretaria de Educação.

O Sintrasem argumenta que as atividades presenciais só serão retomadas caso sejam garantidas “condições sanitárias seguras”, e reivindica a vacinação dos servidores. A Prefeitura, por sua vez, sustenta que o ensino presencial é atividade essencial e afirma garantir as condições necessárias.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Educação

Loading...