Aulas híbridas são novidade para o segundo semestre no ensino superior

Aulas com transmissão ao vivo e presencialidade programada são novidades para o segundo semestre da UNESC

Em virtude da pandemia de Covid-19, Unesc adota medidas para garantir o ensino de excelência aos alunos em aulas – Foto: Arquivo Unesc

Para garantir um ensino de excelência mesmo em tempos de pandemia, a Unesc irá implantar no seu segundo semestre, um sistema de aulas ao vivo, no qual o professor estará no campus e suas explicações serão transmitidas em tempo real, (exceto professores que integram o grupo de risco). Da mesma forma, os estudantes que tiverem interesse em participar das aulas presencialmente, poderão fazer participando de um rodízio, (a depender das condições pandêmicas), que irá garantir a ocupação mínima na sala de aula. As novidades foram apresentadas em encontro da Reitoria com os representantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Centros Acadêmico, líderes de turma, Coordenadores de Curso e Núcleos Docentes Estruturantes nesta semana. Durante a reunião, foram apresentados ainda, uma avaliação geral do primeiro semestre e a reprogramação do segundo semestre com o novo calendário acadêmico, que tem data de início para 2 de setembro.

“É um momento de excepcionalidade onde temos que nos reinventar. A pandemia de Covid-19 nos condicionou a mudanças e os nossos alunos não perderão a qualidade no ensino. A reunião com o DCE, CAs e líderes de turma é importante para avaliar o primeiro semestre e encaminhar o segundo. Dialogar com os estudantes é fundamental para ampliar as possibilidades de decisões acertadas tanto no cuidado da vida de nossos acadêmicos quanto no processo de aprendizagem”, comenta a reitora, Luciane Bisognin Ceretta.

Aulas ao vivo garantem ensino virtual em tempo real

O segundo semestre iniciará com as aulas transmitidas ao vivo para todos os cursos, porém, com um novo formato: o professor na Universidade (exceto em casos excepcionais), em um ambiente estrutural adaptado para as normas de biossegurança e com as tecnologias educacionais adequadas. “As salas vão passar por uma modernização tecnológica e estrutural. O professor estará no campus utilizando recursos fundamentais, ou seja, dentro de seus lócus de atuação, com acesso aos equipamentos de laboratório, quadro e projetor multimídia, o que favorecerá a mediação dos processos educativos e aproximará o estudante do espaço universitário em tempos de afastamento social ”, explica o diretor de Ensino de Graduação, Marcelo Feldhaus.

A Universidade poderá retornar presencialmente, partir das condições sanitárias seguras e a depender da matriz de risco do estado de Santa Catarina, respeitando o distanciamento social e cumprindo os termos de segurança, ocupando de 30% a 50% a capacidade das salas de aula. Os alunos que optarem o ensino remoto terão as aulas mediadas por tecnologia ao vivo. Já as aulas práticas e estágios serão presenciais planejadas também a depender das condições pandêmicas.

Serão 250 salas de aula e laboratórios equipados com câmera, áudio, vídeo, microfone de lapela (individual para cada professor), mais de 145 salas com dois equipamentos de data show para que seja possível ampliar a interação do professor com os estudantes que estiverem presencialmente e os que acompanharão de modo remoto pelo Google Meet, quadro adaptado para melhorar a captação pela câmera, iluminação adaptada para melhor qualidade na captação e transmissão das imagens. “As aulas transmitidas continuarão sendo gravadas. Ela é um recurso de estratégia de melhoria da aprendizagem. Quando o aluno retoma a gravação ele consegue aprofundar aspectos apresentados durante a aula pelo professor”, complementa Feldhaus.

A instituição continuará fornecendo notebooks e acesso à internet remota, além de todos os itens de biossegurança adotados desde o início da pandemia e o retorno gradual, tais como, tapetes sanitizantes, álcool em gel em todo o campus, distribuição de kits com álcool gel e máscara, capacitação sobre boas práticas, aferição de temperatura, Sala de Situação, sinalização de capacidade máxima em toda Unesc, sinalização de orientação, testagem de Covid-19 para professores e colaboradores.

Professor monitor agrega conhecimento em matérias específicas

Uma das solicitações dos alunos durante avaliação do primeiro semestre foi a realização de encontros extracurriculares para retomada de conceitos mais complexos em algumas áreas. A partir do segundo semestre os alunos poderão contar com professores monitores para retomada de aulas como física, cálculo, química e produção textual. “Vejo um balanço bacana neste primeiro semestre. Agora com a vinda de monitores, os alunos poderão dar um melhor aproveitamento ao estilo de aula que está sendo apresentada”, declara o estudante Douglas Leffa.

Segundo semestre iniciou em 2 de setembro

Presencialidade com segurança na UNESC – Foto: Arquivo Unesc

O primeiro semestre letivo encerra no dia 19 de agosto e contará com um recesso para os estudantes até 1º de setembro. De 17 a 21 de agosto, os professores estarão em formação continuada. De 22 de agosto a 1 de setembro será o recesso para os professores. As aulas retornam no dia 2 de setembro e se encerram no dia 23 de dezembro de 2020, exceto para o curso de Medicina.

Já os cursos de graduação EAD iniciam o segundo semestre no dia 17 de agosto. “Avaliamos a necessidade de uma pausa em função de uma série de adaptações que este estudante precisou desenvolver. E também para organização do campus para o segundo semestre”, explica Feldhaus.

Alunos avaliam primeiro semestre como positivo

O semestre de 2020/1 foi um período de excepcionalidade. Nesse sentido, a avaliação do ensino de graduação, que se desenvolve na Unesc a partir de uma expertise já consolidada de 20 anos, é operacionalizada pela parceria entre a Comissão Própria de Avaliação e o Setor de Avaliação Institucional e ajuda a ter um olhar mais sistêmico em prol de qualificar os processos de ensino e aprendizagem.

Neste semestre, a avaliação observou todos os elementos relativos às solicitações do Conselho Nacional de Educação, quando considerou as diretrizes do parecer número 05/2020 e número 11/2020 do CNE.

Em função das aulas mediadas por tecnologia, os instrumentos foram adaptados para coletar percepções de docentes e estudantes a respeito das ações pedagógicas oferecidas pela Universidade nos cursos de graduação presenciais e EAD. A média geral do desempenho docente foi de 4.64 (em uma escala de 1 a 5), a da auto avaliação docente foi de 4,42 e a auto avaliação discente foi de 4,48.

Para o presidente do DCE e acadêmico de Engenharia Civil, Kelvin Benedet, o semestre foi de adaptações e com saldo positivo. “Depois de ouvir muitos alunos, nossa avaliação é bastante positiva. Muitos me questionavam sobre as aulas mediadas por tecnologias, foi uma grande adaptação, mas o pessoal aceitou e se acostumou. Tivemos um contato mais forte entre professor e aluno e isso ajudou muito na maneira de ensino”, comentou.

+

Educação