Chips com internet móvel mudam a realidade nas salas de aula da EJA em Florianópolis

Iniciativa do município, inédita, entregou neste ano dispositivos para os mais de 30 mil alunos da rede de ensino da Capital

Após completar mais de sete décadas de vida, a dona Veroni Petronilha de Assunção tomou coragem e resolveu aprender a ler e escrever. Ela é a aluna com a idade mais avançada na turma da professora Adriana da Silva Rocha neste ano na EJA (Educação de Jovens e Adultos) Silveira de Souza, da rede municipal de ensino de Florianópolis.

Adélia Domingues, de 85 anos, moradora do Rio Vermelho, foi a primeira estudante da EJA a ganhar um chip – Foto: PMF/Divulgação/NDAdélia Domingues, de 85 anos, moradora do Rio Vermelho, foi a primeira estudante da EJA a ganhar um chip – Foto: PMF/Divulgação/ND

Atualmente ela estuda on-line, pois a escola está em reforma. Ela gosta muito de aprender, mas conta que tudo melhorou neste ano, após receber, gratuitamente, da prefeitura, um chip de internet móvel de alta velocidade com 20 GB no pacote de dados mensal.

“Para mim está sendo maravilhoso ter recebido esse chip, pois eu tinha internet antes, mas era muito lenta, eu não conseguia acessar o aplicativo da escola, não conseguia baixar os materiais direito. Agora tudo está mais rápido, foi mesmo uma mão na roda”, afirma.

Além desses estudantes, todos os profissionais que atuam no ensino e acompanhamento dos alunos receberam o cartão SIM.

Veroni ainda se adapta às aulas remotas, mas diz que está feliz com os conhecimentos adquiridos, principalmente após a internet ficar mais rápida em casa. Assim como ela, os mais de 30 mil estudantes da pré-escola dos níveis G5 e G6 (entre 4 e 5 anos de idade), do ensino fundamental do 1º ao 9º ano, da Educação de Jovens e Adultos (EJA), que fazem parte da rede municipal de ensino de Florianópolis, começaram o ano letivo de 2021 com os chips distribuídos pelo município.

Investimento na universalização do ensino

Ao todo, a Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria Municipal de Educação, investiu o montante de R$ 7.689.600,00 na compra de 36 mil unidades. Além dos chips, esse valor inclui a renovação mensal do pacote de dados de 20GB de internet durante todo o ano letivo, que em Florianópolis inicia em 10 de fevereiro.

“Essa é a maior ação de inclusão digital da história de Florianópolis. Educação é prioridade em nossa gestão e investimos no avanço nesta área, na universalização do ensino e a erradicação do analfabetismo, esses são compromissos que temos com a população de Florianópolis. Para que possamos atingir essas metas, precisamos também conceder aos estudantes os meios necessários para a democratização do acesso ao sistema educacional”, afirma o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro.

Sem perder o ritmo das aulas

Professora há 12 anos, dois quais está há quase dois na rede de ensino de Florianópolis e na EJA, Adriana da Silva Rocha, que ensina a dona Veroni a ler e escrever, analisa que os alunos cada vez estão mais familiarizados às aulas on-line e diz que os chips melhoraram muito a qualidade do ensino.

“Isso nos ajudou significativamente, pois alguns estudantes antes não conseguiam acessar as aulas e, mesmo entre os que conseguiam, muitos tinham a internet muito lenta. Então, a gente enviava um vídeo para incrementar a aula e demorava para eles baixarem o material. Aí a aula perdia o ritmo, agora tudo está diferente e conseguimos desenvolver os estudos de uma forma bem melhor”, explica.

Ela também avalia que, neste ano, tanto os alunos quanto os professores estão mais familiarizados com o uso da tecnologia voltadas às aulas remotas. “No ano passado todos nós ainda ficávamos um pouco inseguros, pois ainda não conhecíamos muito bem as ferramentas, agora os alunos já ficam ansiosos, mandando mensagem para abrir a sala on-line, nós também conseguimos utilizar melhor os recursos tecnológicos”, analisa ela.

Sobre a missão de alfabetizar jovens e adultos, Adriana diz que é uma profissão maravilhosa. “É muito gratificante, não há salário que pague o que a gente sente ao ver as pessoas aprendendo a ler e escrever”, conta.

Mais sobre a EJA

A EJA (Educação de Jovens, Adultos e Idoso), ligada à Secretaria de Educação de Florianópolis (SME), está em 26 localidades espalhadas pela Ilha e Continente. Na modalidade, os estudantes, a partir de 15 anos de idade, podem se alfabetizar ou concluir o ensino fundamental de maneira gratuita.

Um dos diferenciais desta modalidade de ensino é que o interessado tem condições de fazer a matrícula a qualquer momento.  É só ligar para 3251-6102 ou 3212-0925.

Já estão matriculados nesta modalidade 1.600 pessoas na Capital. São elaboradas atividades propositivas, interagindo com os estudantes. São aprofundados diversos procedimentos e discussões próprios da educação fundamental.

Além desses estudantes, todos os profissionais que atuam no ensino e acompanhamento dos alunos receberam o cartão SIM neste ano – PMF/Divulgação/NDAlém desses estudantes, todos os profissionais que atuam no ensino e acompanhamento dos alunos receberam o cartão SIM neste ano – PMF/Divulgação/ND

Unidades existentes hoje em Florianópolis

Região Norte

Escola Básica Municipal Herondina Medeiros Zeferino: Ingleses

Escola Básica Municipal Osmar Cunha: Canasvieiras

Escola Básica Municipal Intendente Aricomedes da Silva: Cachoeira do Bom Jesus

Escola Básica Municipal Maria Tomázia Coelho: Santinho

Região Leste

Escola Básica Municipal Henrique Veras: Lagoa da Conceição

Escola Básica Municipal Maria Conceição Nunes: Rio Vermelho

Região Central

Escola Silveira de Souza: Centro

Udesc – Universidade do Estado de Santa Catarina: Itacorubi

Escola Básica Municipal Adotiva Liberato Valentim: Costeira do Pirajubaé

Escola Básica Municipal Donícia Maria da Costa: Saco Grande

Neti – UFSC: Trindade

ASGF – Associação de Surdos da Grande Florianópolis: Centro

Aflodef – Associação Florianopolitana de Deficientes Físicos: Agronômica

POP RUA: Instituto Arco-íris, Centro

Escola Básica Municipal José Jacinto Cardoso: Serrinha

Região Continental

Escola Básica Municipal Almirante Carvalhal: Coqueiros

Proeja – IFSC: Campus Florianópolis Continente, Coqueiros

Biblioteca Barreiros Filho: Estreito

Cedep: Monte Cristo

Figueirense – Projeto Floripa Gol de Letra: Estádio Orlando Scarpelli, Estreito.

Vila Aparecida: Casa da Comunidade – Vila Aparecida

Região Sul

Escola Básica Municipal Batista Pereira: Alto Ribeirão

Escola Básica Municipal João Gonçalves Pinheiro: Rio Tavares

Escola Básica Municipal José Amaro Cordeiro: Morro das Pedras

Avaí – Projeto Floripa Gol de Letra: Escola Ildefonso Linhares, Carianos.

Escola do Futuro da Tapera: Tapera

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

+

Prefeitura de Florianópolis