Confira cartilha sobre saúde mental na volta às aulas em SC

Objetivo é auxiliar tanto estudantes quanto professores no retorno às atividades presenciais; material foi elaborado visando efeitos psicossociais da pandemia

Com o objetivo de auxiliar estudantes e professores no retorno das atividades presenciais na escola, o MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) lançou a cartilha “O retorno às atividades presenciais na escola e o cuidado com a saúde mental”.

Confira cartilha sobre saúde mental na volta às aulas em SC – Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/NDConfira cartilha sobre saúde mental na volta às aulas em SC – Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/ND

O material foi elaborado visando efeitos psicossociais da pandemia de Covid-19 que podem trazer demandas que a escola vai auxiliar na solução.

Pelas limitações de acesso às instituições de ensino e outros órgão da rede de proteção, houve dificuldade de identificação de casos de violência e negligência nesse período.

O modelo remoto para a realização das atividades pedagógicas acabou gerando o aumento de conflitos familiares e desigualdades sociais no contexto educacional. Além do estresse e sofrimento psíquico causado pelo distanciamento, adoecimento e luto que podem levar a quadros de depressão, ansiedade e outros agravos de saúde mental.

“As consequências dessa realidade, ainda vivenciada em muitos aspectos, devem aparecer nas salas de aula, bem como o estranhamento das necessárias adaptações a um ambiente escolar muito diferente daquele conhecido antes da pandemia, em função das medidas de biossegurança, reconfigurações nos processos de ensino-aprendizagem”, completa o Coordenador do CIJ, Promotor de Justiça João Luiz de Carvalho Botega.

Assim, a cartilha visa conceder ferramentas aos educadores para o cuidado com a sua saúde mental e também das crianças e adolescentes da educação básica no retorno gradual das atividades presenciais de ensino.

O conteúdo apresenta propostas com orientações dentro da realidade, uma vez adaptadas às necessidades locais de cada escola. O objetivo é a garantir o cuidado de todos na comunidade escolar, sem maior sobrecarga aos educadores.

A cartilha propõe a identificação e acolhimento dos casos que precisam de acompanhamento sistemático e de articulação entre diferentes pontos da rede de proteção às crianças e adolescentes.

Temas abordados

Entre os temas abordados no material estão as implicações da pandemia na saúde mental de crianças e adolescentes; orientações gerais sobre o planejamento do cuidado com a saúde mental, especificidades da comunicação e divulgação de informações, o cuidado com a saúde mental de educadores, e ainda, a identificação e o gerenciamento de pensamentos, emoções e comportamentos; o reconhecimento e manejo de violências interpessoais e autoprovocadas; a rede de proteção, bem como a função de cada ponto da rede e como acessá-los; e sugestões de atividades a serem realizadas no retorno à escola de acordo com a etapa de desenvolvimento dos alunos.

“É fundamental salientar que muitas das demandas psicossociais destacadas já estavam presentes na escola, sendo apenas intensificadas pela pandemia. Como sabemos, o adequado acolhimento e encaminhamento de questões que envolvem a saúde mental é estratégia essencial de prevenção à evasão e abandono escolar”, ressalta Botega.

Cuidados no cotidiano escolar

O material ainda evidencia que esses cuidados não estejam restritos apenas à pandemia, mas que façam parte do cotidiano escolar, fortalecendo a papel da escola como espaço de potencialização da saúde.

“Tal atitude fortalece os vínculos na comunidade, auxilia na garantia do direito à educação e convivência e potencializa a capacidade coletiva e individual de encontrar formas criativas e saudáveis no enfrentamento de dificuldades que possam gerar sofrimento”, finaliza o Coordenador do CIJ.

A cartilha está disponível aqui e no Portal do Ministério Público de Santa Catarina e será encaminhada para os Promotores de Justiça com atuação na área da infância e juventude, órgãos de proteção e educadores.

+

Educação