Enem 2021: estudantes avaliam que ensino remoto atrapalhou na preparação para a prova

Ministro da Educação, Milton Ribeiro, confirmou que provas impressas foram entregues na manhã deste domingo (21)

Duas amigas e colegas de turma Geovanna Rodrigues, 18 anos, e Fernanda de Paula, com a mesma idade, chegaram cedo à Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) para fazer o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) neste domingo (21).

“Chegamos cedo para prevenir, com medo de atrasar. É melhor esperar aqui do que em casa” disse Fernanda, que faz a prova como um teste. Ela pretende cursar psicologia se conseguir uma vaga no ano que vem.

Exame Nacional do Ensino Médio,Enem – Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil/NDExame Nacional do Ensino Médio,Enem – Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil/ND

Para Geovanna, a pandemia acabou dificultando a sua preparação para o exame. Segundo ela, o ensino remoto teve muitos trabalhos, mas pouco aprendizado.

“Tentei fazer cursinho, e não consegui equilibrar com a escola”, lamenta ela, que está em dúvida entre os cursos de medicina veterinária e letras.

O estudante José Carlos Pereira Junior, 16 anos, também acha que o ensino remoto atrapalhou sua formação e fez com que aprendesse menos. Ele lembrou que a escola tinha aulas de preparações para a prova.

“Na minha escola, a gente já tem preparações para a prova, como aula de redação e como manusear o tempo, então essa questão vai ser mais tranquila. Mas em relação ao conteúdo, que é bem abrangente, vai ser mais complicado”, diz ele, que quer entrar no nível superior na área de tecnologia.

Já Nathan Habib, de 17 anos, ainda está indeciso sobre qual curso fará: jornalismo ou turismo. Ele já fez o Enem anteriormente e disse que requer um bom preparo psicológico. “É uma prova longa, com muita conta e texto. Eu fiz e terminei antes do horário previsto, mas cansa. É uma maratona”, afirma ele, que também relata problemas com o ensino remoto.

“Todo mundo achou que seria bom estudar de casa, mas não foi bem assim. Muitas vezes, as aulas travavam, a internet ficava ruim”.

A pensionista Maria do Socorro de Carvalho disse que quer realizar o sonho antigo de ter conhecimento para ajudar as pessoas. Ela está na terceira tentativa e quer cursar administração no futuro.

“Não é tanto para procurar um emprego”, diz ela, que costuma ouvir questionamentos do porquê quer estudar. “Graças a Deus que não preciso mais trabalhar. Mas eu vou realizar um sonho de ter conhecimento, e quando uma pessoa me pedir uma ajuda eu vou poder ajudar”.

Bem humorada, a única resposta que dona Maria do Socorro não quis revelar foi sua idade. “Não é tão interessante a idade. O importante é a força de vontade”.

Um grupo de jovens foi à porta da Uerj protestar com um cartaz defender o Enem e a educação. “Pelo direito de estudar. Contra a censura e o desmonte do Enem”, dizia o texto, assinado pelo coletivo Juntos.

Provas impressas

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, informou que todas as provas impressas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) foram entregues nos locais de aplicação.

De acordo com o ministro, a distribuição começou às 8h e o processo de entrega foi concluído em três horas pelos Correios. O procedimento teve apoio das forças de segurança coordenadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

A prova do Enem começou às 13h30 deste domingo (21) para cerca de 3,1 milhões de candidatos em mais de 1,7 mil municípios brasileiros. Serão questões objetivas de linguagens e ciências humanas, além da redação, nas modalidades impressa e digital. Tanto as provas quanto o tema da redação serão iguais nas duas versões.

+

Educação

Loading...