Candidatos são impedidos de fazer prova do Enem após salas lotarem na UFSC

Longas filas se formavam em frente aos centros, quando os candidatos foram informados de que não poderiam mais entrar nas salas em função da lotação

O que era para ser um dia de concentração e foco se transformou em angústia e indignação. Isso porque dezenas de candidatos não conseguiram entrar nas salas para realizar as provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2020, neste domingo (17), em Florianópolis. E o motivo não foi o atraso.

Candidatos não conseguiram realizar a prova do Enem, na UFSC – Foto: Bruna Stroisch/NDCandidatos não conseguiram realizar a prova do Enem, na UFSC – Foto: Bruna Stroisch/ND

Antes do fechamento dos portões, a reportagem acompanhava a intensa movimentação de candidatos na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

Longas filas se formavam em frente aos centros, quando os candidatos foram informados de que não poderiam mais entrar nas salas em função da lotação.

Fiscais responsáveis pelo controle da entrada dos locais de prova anunciaram os números das salas que já haviam atingido o limite da capacidade.

Os candidatos, então, foram orientados a sair da fila e aguardar do lado de fora. Um grande grupo de pessoas indignadas com a situação acabou se formando.

Esses candidatos terão que esperar por um novo exame, que deverá ser realizado no final de fevereiro. Neste domingo, são aplicadas as avaliações de Linguagens e Ciências Humanas e a prova de Redação.

O que foi repassado aos candidatos

Na frente do CCE (Centro de Comunicação e Expressão), o grupo que aguardava do lado de fora recebeu as primeiras informações de Rogério Salles, advogado da Fundação Cesgranrio, instituição encarregada pela aplicação da prova.

Ele disse aos alunos que não foi possível alocar todos os inscritos nas salas disponibilizadas pela UFSC.

Segundo Salles, a recomendação para fechar os espaços teria sido motivada por um novo plano de contingência emitido pela Vigilância Sanitária de Florianópolis.

O advogado sugeriu aos candidatos barrados que acessem o site do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) ou entrem em contato pelo número 0800 da instituição para remarcar a prova.

Não foi emitido nenhum documento ou comprovante de presença para aqueles candidatos que não conseguiram entrar nas salas.

No CCE, os próprios candidatos registraram seus nomes em uma lista e a entregaram em mãos ao advogado.

No CSE (Centro Sócio-Econômico), candidatos relataram que fiscais teriam solicitado o CPF e o número de inscrição daqueles que não puderam fazer o exame. A mesma situação teria ocorrido também em outros blocos da Universidade.

Candidatos indignados

Izabella, de 20 anos, foi uma das candidatas barradas ao tentar acessar seu local de prova no CCE.

Candidata Izabella, de 20 anos, não conseguiu fazer a prova do Enem – Foto: Bruna Stroisch/NDCandidata Izabella, de 20 anos, não conseguiu fazer a prova do Enem – Foto: Bruna Stroisch/ND

Ela conta que foi orientada a solicitar a reaplicação da prova no site do Inep. Além disso, a estudante foi informada de que não precisará realizar a segunda prova no próximo domingo.

“Disseram que uma nova prova vai ser reaplicada em fevereiro, mas não tem data certa. É um absurdo isso. Não deram nenhum comprovante que registre que a gente esteve aqui para fazer a prova”, diz Izabella.

A jovem já cursa uma graduação em uma instituição particular, mas esperava ter acesso a uma bolsa de estudos com a realização da prova do Enem.

O candidato Caio Monteiro, de 18 anos, também ficou de fora da prova do Enem deste domingo. Ele se juntou ao grupo que aguardava por mais informações na frente do CCE.

“Essa vai ser a segunda vez que tento o Enem. Quero cursar Tecnologia da Informação. Não consegui entrar na sala mesmo tendo chegado na UFSC às 12h30. Ia prestar a prova na sala 207, mas disseram que já estava lotada”, conta Caio.

UFSC já havia alertado sobre lotação

A UFSC emitiu uma nota na sexta-feira (15), em que questionou o Inep após receber o plano de salas com ocupação de 80% para a realização do Enem. Segundo a universidade, a condição para ceder os espaços seria que as salas tivessem ocupação máxima de 40% da capacidade.

O Inep e a Cesgranrio distribuíram os participantes utilizando 80% da capacidade das salas. Em 12 de janeiro, tão logo a informação chegou à Administração Central da UFSC, a Universidade enviou ofício às duas instituições solicitando que respeitassem o limite de 40%”, destaca a nota. Segundo a universidade, até o fim da tarde da sexta, não havia resposta ao ofício.

As salas da universidade foram cedidas para o exame, mas não há, segundo a UFSC, envolvimento da instituição com detalhes operacionais das provas.

Movimentação intensa de estudantes na UFSC para a prova do Enem – Foto: Bruna Stroisch/NDMovimentação intensa de estudantes na UFSC para a prova do Enem – Foto: Bruna Stroisch/ND

A DPU (Defensoria Pública da União) afirmou no sábado (16) que o Inep não teria como garantir o cumprimento dos protocolos sanitários criados por eles mesmos.

Ainda de acordo com a Defensoria, reportagens sobre a realização do Enem trouxeram inúmeros relatos de que a ocupação de muitas das salas seria bem superior aos 50% da capacidade, percentual com que o próprio Inep havia se comprometido.

O órgão chegou a entrar com um pedido de anulação da decisão que manteve as datas do Enem marcado para este domingo e dia 24.

Contrapontos

O ND+ entrou em contato com o setor de Comunicação do Inep que informou que só se posicionaria por e-mail. Não houve retorno por parte da instituição até a publicação desta reportagem.

A Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis informou, por meio da assessoria, que a Vigilância Sanitária Municipal esteve na UFSC, mas não recomendou em nenhum momento a ocupação de 40%.

“Essa determinação foi da universidade e em nenhum momento a Vigilância Sanitária de Florianópolis barrou estudantes da entrada para realização da prova.”, informou.

De acordo com a Secretaria, os fiscais estão passando bloco por bloco e até as 16h, não havia nenhum registro de descumprimento das normas sanitárias contra o novo coronavírus.

Já a UFSC informou, em nota, que a restrição de acesso às salas ocorreu por decisão do INEP. “Em razão dos episódios envolvendo participantes do ENEM 2020, na manhã deste domingo, 17 de janeiro, a UFSC informa que a restrição de acesso às salas, deu-se por decisão do INEP. A UFSC apenas autorizou o uso de espaços físicos, mediante a garantia de segurança sanitária aos participantes, especialmente a limitação de uso das salas no limite máximo de 40% da capacidade. Apesar de ter havido, na quarta feira, alerta da universidade diante da programação, pelo INEP, de uso das salas com capacidade de 80%, os procedimentos quanto à restrição do número de candidatos, momentos antes do horário da prova, não tiveram qualquer participação da UFSC”.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Enem