Entenda como será a volta às aulas presenciais na rede estadual de ensino em SC

Aulas acontecerão com três modelos diferentes: 100% presencial, misto e 100% online

A SED (Secretaria de Estado da Educação) detalhou na segunda-feira (25) como será o retorno das aulas presenciais na rede estadual de ensino. O tema foi divulgado durante uma reunião entre a secretaria, gestores escolares e coordenadores regionais de educação.

Professores volta às escolas no dia 3 de fevereiro – Foto: SED/DivulgaçãoProfessores volta às escolas no dia 3 de fevereiro – Foto: SED/Divulgação

Já os professores, devem retornar as atividades na próxima semana, assim como as equipes técnicas das escolas e coordenadorias. A reunião contou com a participação virtual de mais de 2,5 mil profissionais vinculados à gestão escolar da rede.

O principal objetivo do encontro foi detalhar os pontos relevantes sobre os modelos pedagógicos que vão orientar a ação de cada escola ao longo do ano. Entre as novidades, está a perspectiva de adoção de três modelos diferentes: 100% presencial, misto e 100% online.

Como funciona cada modelo

O primeiro será aplicado nas escolas que dispuserem de salas com infraestrutura adequada para realizar o distanciamento de 1,5 metro exigido entre as carteiras dos alunos.

No caso de professores que fazem parte do grupo de risco, haverá duas possibilidades: para os anos iniciais do Ensino Fundamental será necessário a contratação de profissional ACT. Já nos Anos Finais do Ensino Fundamental e Médio, a disciplina será ministrada de maneira remota.

Caso a região onde está a escola estiver no nível gravíssimo da matriz de risco estadual, a unidade terá que atender no modelo misto, que incluirá a maioria dos alunos e funciona com alternância dos grupos que frequentam a escola, dividido em dois momentos: o “Tempo Escola” e o “Tempo Casa”.

O primeiro consiste no atendimento presencial na unidade escolar, com turmas subdividas em grupos. Já as atividades pedagógicas que compõem o “Tempo Casa” podem ser realizadas com ou sem a mediação por tecnologias digitais, com orientação para que as escolas criem dinâmicas para que os estudantes sem acesso possam, sempre que possível, integrar-se às atividades em espaços disponibilizados na unidade.

O atendimento presencial nesse modelo se dará de duas a três vezes por semana nos Anos iniciais e semanalmente nos Anos Finais e Ensino Médio.

Nestes dois modelos, a recomendação às escolas é a organização da carga horária, priorizando horários concentrados nas turmas (aulas-faixa), para evitar a troca de sala. O estudante deve permanecer na sala e, se possível, a carteira deve ser marcada para que o estudante use sempre a mesma.

Já o modelo 100% online, que foi aplicado ao longo de 2020, com a suspensão das aulas presenciais, continua em 2021 para os cerca de 28 mil alunos da rede estadual que, comprovadamente, fazem parte de grupo de risco para Covid-19, assim como os professores. Ela também será ofertada para os pais que optarem por manter os filhos em casa.

Nesse caso, os responsáveis devem assinar um termo de compromisso informando o desejo de manter o estudante nesse modelo. O termo valerá por 15 dias e pode ser suspenso por desejo dos pais, desde que a escola seja informada com sete dias de antecedência.

Reunião detalhou como funcionará cada modelo de retorno – Foto: SED/DivulgaçãoReunião detalhou como funcionará cada modelo de retorno – Foto: SED/Divulgação

Transporte e alimentação

A previsão da SED é que 20% do total de estudantes da rede utilizem o transporte escolar. Por isso, a gestão das escolas, em conjunto com a rede municipal, deve organizar o roteiro de circulação dos veículos para atender os modelos pedagógicos que estarão vigentes. A orientação é priorizar os agrupamentos de alunos presenciais por proximidade.

Já em relação a alimentação escolar, a secretaria manterá a entrega dos kits de alimentação escolar aos alunos, mesmo para aqueles que retornem às atividades presenciais em quaisquer dos dois modelos. O serviço de bufê, existente em algumas escolas em 2020, não será aplicado em nenhuma unidade.

No caso de atendimento presencial, a refeição será preparada e entregue pelo profissional da empresa responsável por esse serviço.

Orientações para servidores

Os professores voltam ao trabalho no dia 3 de fevereiro, quando acontecerá a formação pedagógica com o objetivo de assegurar o planejamento das atividades. Os servidores que integram o grupo de risco devem preencher uma auto declaração para permanecer em atividades remotas.

Além disso, nesta semana, as coordenadorias e escolas deverão fazer o levantamento dos alunos que vão permanecer nas atividades remotas, finalizar o Plano de Contingência Estadual para Educação e preparar os informativos à comunidade escolar.

+

Educação