Escola de SC é obrigada a dar aulas em galpão e alunos reclamam de barulho e alagamento

Atraso nas obras da escola Professora Lourdes Garcia, em Santo Amaro da Imperatriz, levou alunos a salas apertadas em espaço dividido com distribuidora de água

As aulas presenciais na Escola Municipal Professora Lourdes Garcia, em Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis, não tem sido fáceis para alunos e professores.

Por conta do atraso nas obras que ocorrem no prédio onde fica a escola, que foi demolido em 2020 para reforma, as aulas estão sendo realizadas em um galpão desde o início do ano letivo, em 15 de fevereiro.

Alunos de escola em Santo Amaro da Imperatriz têm aula em galpão – Foto: Arquivo PessoalAlunos de escola em Santo Amaro da Imperatriz têm aula em galpão – Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com a presidente da Sintramaro (Sindicato de Trabalhadores do Serviço Público de Santo Amaro da Imperatriz), Eliane da Silva, os alunos e professores dividem o espaço com uma distribuidora de água, em uma estrutura que é apertada para a quantidade de estudantes.

“As salas são minúsculas. O espaço não comporta todos os alunos”. No entanto, segundo a representante do sindicato, a principal reclamação está no barulho.

“O maior problema não está nem em dividir 0 espaço com outro estabelecimento, mas é o galpão. O telhado e as portas são de zinco, quando chove fica um barulho muito alto e chato. Os alunos tapam os ouvidos, tem que falar gritando… as professoras são obrigadas a paralisar a aula”, conta.

Além disso, em dias de chuva também há preocupações por conta da segurança da estrutura. “As portas são aquelas de puxar, e quando chove a água passa por baixo. Tem fiação lá, é um perigo”, destaca Eliane da Silva.

O que diz a Prefeitura

A Prefeitura de Santo Amaro da Imperatriz se manifestou, por meio da Secretaria de Educação e Esportes, sobre a realização das aulas no espaço.

Em nota, o município salienta que o local está adequado para receber os alunos e professores com segurança.

“As aulas presenciais da Escola Básica Municipal Professora Lourdes Garcia estão acontecendo em um local provisório, onde foi feita toda a adequação e adaptação do espaço para o funcionamento a fim de comportar todas as turmas e atender aos alunos de forma segura”.

Além disso, a Secretaria reforça que o local passou pela aprovação de vários membros para ser utilizado de forma provisória.

“Vale ressaltar novamente que esta é uma situação provisória e que o local escolhido foi analisado pelo Diretor da Escola, Secretaria de Educação e a Administração Municipal, objetivando oferecer atendimento mais próximo do Centro, comportar todos os alunos e ter uma localização onde não há trânsito, a qual possibilita maior seguridade”.

Sindicato visitou o espaço e irá discutir com o prefeito

Segundo as informações da presidente do Sintramaro, Eliane da Silva, o sindicato foi visitar o galpão e ouvir relatos de diversas professoras sobre a situação.

“Realmente procede o fato”, garante. Ela pontua que o diálogo com a Prefeitura era inexistente para tratar do problema, mas depois que as reclamações vieram à tona, o cenário mudou.

O sindicato tem uma reunião marcada com o prefeito de Santo Amaro da Imperatriz para debater a questão.

Atraso de mais de um ano nas obras

“É um elefante branco”, reclama Eliane da Silva, ao falar sobre o atraso nas obras da Escola Municipal Lourdes Garcia.

“Era para ficar pronto em dezembro de 2020, e em fevereiro já ser entregue para as aulas. E não está nem na metade”, afirma a presidente do sindicato.

Segundo a nova estimativa da Prefeitura de Santo Amaro da Imperatriz, as obras devem ser finalizadas em fevereiro de 2022.

Confira as fotos do espaço onde as aulas são realizadas:

Corredor do espaço que a escola estava funcionando - Arquivo Pessoal
1 4
Corredor do espaço que a escola estava funcionando - Arquivo Pessoal
Espaço interno da escola - Arquivo Pessoal
2 4
Espaço interno da escola - Arquivo Pessoal
Escola funciona em galpão que divide espaço com empresa de distribuição de água - Arquivo Pessoal
3 4
Escola funciona em galpão que divide espaço com empresa de distribuição de água - Arquivo Pessoal
Paredes que dividem as salas são de madeira - Arquivo Pessoal
4 4
Paredes que dividem as salas são de madeira - Arquivo Pessoal

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Educação

Loading...