Governo do Estado antecipa para setembro última parcela de reajuste do magistério

Sinte/SC reivindica receber em cota única e retroativa

Após se reunir com secretários de Estado no início da semana, o governador Raimundo Colombo (PSD) decidiu antecipar em dois meses a terceira parcela do reajuste, de 4,5%, prometido para os professores da rede estadual de ensino. Mas, o Sinte/SC (Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina) reivindica que o reajuste total de 8,5% seja aplicado integralmente, retroativo a janeiro deste ano. Sem acordo, os professores ameaçam entrar em greve no final deste mês.

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação informou que o governo dividirá o reajuste do piso nacional do magistério, de 8,5%, em três parcelas. A primeira, de 2%, será efetuada este mês, com retroativo a janeiro; a segunda, de mesmo percentual, será aplicada em julho. A mudança foi na terceira parcela, de 4,5%, que estava prevista para dezembro e será antecipada para setembro. O governo ainda não informou quando deve encaminhar a medida provisória para apreciação na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina).   

 “Não interessa receber esse reajuste da forma como o governo está pretendendo fazer. Queremos os 8,5% agora. Além disso, é preciso rever a forma de progressão na carreira devido à faltas. Teremos uma assembleia geral no dia 18, que pode decidir por uma greve sem data para terminar”, disse Claudete Mittmann, diretora de comunicação do Sinte/SC.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Educação

Loading...