Cacau Menezes

Apaixonado pela sua cidade, por Santa Catarina, pelo seu país e pela sua profissão. São 45 anos, sete dias por semana, 24 horas por dia dedicados ao jornalismo


História significante de Florianópolis passa pela fraternidade

Saudade não tem idade

Hoje são todas avós – Foto: Arquivo pessoalHoje são todas avós – Foto: Arquivo pessoal

A maior Confraria da cidade, com certeza, é das ex-alunas do Coração de Jesus. São várias. É uma festa por semana nas pizzarias, barzinhos e restaurantes da cidade. Desde 1898, o Colégio das Irmãs da Divina Providência formou turmas de mulheres com liderança para educar os principais personagens do nosso Estado. A elite de SC passou por ali, as famílias de magnatas do interior davam o que havia de melhor, enviando suas filhas para o internato na Capital. Hoje, há encontros de ex-alunas em todas as regiões, de várias gerações. Aquelas que tiveram a oportunidade, jamais esqueceram a experiência educadora e formadora. Quantas histórias. Na década 60, a revolução social encorajou as mães (ex-alunas) a decidirem que suas meninas além de donas de casas ou professoras do Normal, poderiam ser engenheiras, médicas, nutricionistas, odontólogas, desembargadoras, juízas, que continuariam seus estudos para encarar o mercado de trabalho em igualdade com os rapazes. No registro daquela época, mostra toda a espontaneidade e a cumplicidade das meninas que seriam mais que colegas, amigas e companheiras por toda vida: Angela Mussi, Anita Vieira, Cristina Kosmos, Marina Dantas, Tessa Freitas, num grupo das meninas mais que poderosas da Ilha.