Joinvilenses conquistam 1º e 2º lugares em concurso de redação em SC

Beatriz Cercal, 11 anos, e Ana Luiza, 13, são alunas da Escola Municipal Virgínia Soares e participaram do Concurso de Redação da Defensoria Pública da União

Beatriz Cercal Cachoeira, 11 anos, aluna da Escola Municipal Virgínia Soares, de Joinville, Norte do Estado, está indignada com descasos ambientais, como o de Mariana, e deu um puxão de orelha nos líderes mundiais que se reuniram recentemente na ONU com seus megaprojetos para salvar o Planeta.

Ela acabou de vencer, em nível estadual, o 5º Concurso de Redação da Defensoria Pública da União (DPU). Beatriz, que está no sexto ano, escreveu uma carta aberta ao Planeta Terra e cobra ações menores e mais específicas dos senhores que “mandam no mundo”, bem como destacou o incansável trabalho dos defensores públicos em busca de justiça para as vítimas de desastres ambientais.

Beatriz Cercal Cachoeira (E), a professora Jaqueline Roberta Venera e Ana Luiza Flávia – Foto: divulgaçãoBeatriz Cercal Cachoeira (E), a professora Jaqueline Roberta Venera e Ana Luiza Flávia – Foto: divulgação

Além de Beatriz, outra aluna da escola, a Ana Luiza Flávia, 13 anos, que está na oitava série, conquistou o segundo lugar no mesmo concurso com um artigo de opinião. Foram 13.956 redações enviadas de alunos do 6º ao 9º ano e 135 escolas participantes. O concurso da DPU ocorre em nível nacional.

“Nós tivemos várias palestras, assistimos a vídeos e eu destaquei as partes mais importantes e escrevi o texto. O tema é relevante e atual”, destacou a aluna Beatriz.

Redação de Beatriz, primeiro lugar no Concurso da DPU – nível estadual . Foto: divulgaçãoRedação de Beatriz, primeiro lugar no Concurso da DPU – nível estadual . Foto: divulgação

E, claro, por trás de tanto talento, há sempre um mestre. A professora de Língua Portuguesa Jaqueline Roberta Venera conta que houve muito engajamento das turmas e os alunos refizeram muitas vezes o texto. “Não estávamos  preocupados com a premiação, mas sim em falar sobre o tema e desenvolver a escrita. Notamos a evolução dos alunos e, inclusive, eles propuseram um concurso interno de redação”, conta.

Além dos primeiro e segundo lugar no concurso de redação, a Escola Virgínia Soares conquistou o segundo lugar nacional  na categoria mobilização escolar em torno do tema “Defender direitos, evitar desastres: como o acesso à Justiça contribui para o desenvolvimento sustentável”. Isto porque a unidade trouxe palestras com defensor público, que falou sobre o papel do órgão federal na comunidade; com a Defesa Civil; e os alunos trabalharam instrumentos de medição de chuva nas aulas de Ciência e fizeram fotos-denúncia na disciplina de Artes.

Além disso, a escola inteira se mobilizou, junto ao Rotary Club, para arrecadar lacres de latinha e comprar uma cadeira de rodas. Hoje, a cadeira é usada por um aluno da escola e ficará na unidade para atender a quem precisar.

Premiação

A escola receberá o prêmio de R$ 10 mil; a professora Jaqueline, uma medalha; e as alunas Beatriz, um tablet; e Ana Luiza Flávia, uma máquina digital. A entrega da premiação deve ocorrer em dezembro ainda sem data definida.

Orgulhosa, a diretora da escola, Kátia Daniella Ramos Lopes dos Santos, afirma que a premiação é resultado de um processo de aprendizagem do aluno, da qualificada equipe pedagógica e do grande envolvimento com a comunidade escolar.

“Quando conquistamos um prêmio, toda a comunidade ganha junto”, finaliza Kátia, lembrando que a Virgínia Soares foi a única escola de SC a chegar a final do concurso.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Educação

Loading...