Pescado entra no cardápio das escolas da rede municipal de ensino de Florianópolis

de Florianópolis Até o final de agosto, mais de 620 kg do peixe foram servidos para 76 unidades escolares da Capital. Iniciativa beneficia alunos e também o produtor local

Em todo o mundo, o pescado corresponde hoje à terceira principal fonte de proteínas na dieta consumida por seres humanos, depois dos cereais e do leite.  Devido ao seu alto valor nutritivo, com importantes teores de vitaminas A, D, E e K, cálcio e fósforo, comer peixe traz benefícios para os ossos, articulações, músculos, pele e olhos.

Comer peixe traz benefícios para os ossos, articulações, músculos, pele e olhos – Foto: Freepik/Divulgação/NDComer peixe traz benefícios para os ossos, articulações, músculos, pele e olhos – Foto: Freepik/Divulgação/ND

Segundo nutricionistas, se comparada com outros tipos de carnes, como a de boi, porco e aves, por exemplo, a carne do pescado se mostra uma excelente opção, pois tem proteína de alta qualidade, é fonte de aminoácidos essenciais e tem menor teor de tecido conectivo em sua constituição. O tecido conectivo é uma estrutura que se torna gelatinosa durante o cozimento, e é composto por proteínas de baixa qualidade nutricional.

Neste ano, os estudantes dos ensinos médio e fundamental da rede municipal de ensino de Florianópolis já podem aproveitar todas as vantagens do consumo do produto, pois passaram a contar com pescados fresquinhos no cardápio da merenda.

Peixe no Neim da Armação

Na próxima segunda-feira (27) a Superintendência da Pesca, Maricultura e Agricultura do município receberá mais pescado e na terça-feira (28), esse produto será servido no Neim (Núcleo de Educação Infantil) da Armação, a partir das 10h30.

Até o final de agosto, mais de 620 kg do peixe foram servidos para 76 unidades escolares da Capital. O peixe espada, utilizado para os pratos, concentra grande quantidade de gordura ômega-3, o que contribui ainda para o controle dos níveis de colesterol e glicemia e pode prevenir doenças cardiovasculares.

O superintendente de Pesca, Maricultura e Agricultura de Florianópolis, Adriano Weickert, destaca que essa inclusão, além de proporcionar para as crianças um pescado mais fresco e com qualidade excepcional, valoriza o pescador local. “Isso aumenta a visibilidade para a nossa pesca artesanal, que tem que ser valorizada”, ressalta.

Os responsáveis pelos pescados, Túlio Lopes Gonçalves e Anna Gabriela Ferreira Pego, são proprietários de um estabelecimento no Pântano do Sul – Foto: Divulgação/NDOs responsáveis pelos pescados, Túlio Lopes Gonçalves e Anna Gabriela Ferreira Pego, são proprietários de um estabelecimento no Pântano do Sul – Foto: Divulgação/ND

Serviço de Inspeção Municipal

Os responsáveis pelos pescados, Túlio Lopes Gonçalves e Anna Gabriela Ferreira Pego, são proprietários de um estabelecimento no Pântano do Sul. Para integrar o programa do município, os pescadores tiveram que atender alguns critérios exigidos, entre os quais está o SIM (Serviço de Inspeção Municipal), que consiste na fiscalização industrial e sanitária de todos os produtos de origem animal produzidos em Florianópolis.

Segundo a extensionista da Epagri Florianópolis, nutricionista Cristina Ramos Callegari, uma das principais ações para viabilizar a comercialização desses produtores foi a legalização do serviço, inspecionado pela Prefeitura da Capital. Para ela, essa conquista credibiliza e comprova a qualidade desses alimentos.

“Desta forma temos também a valorização de todo trabalho realizado aqui na Superintendência da Pesca, Maricultura e Agricultura pelo SIM-Fpolis, que é um serviço que veio justamente para isso, incluir os pequenos produtores e as pequenas empresas, que normalmente são empresas familiares”, acrescenta o superintendente Weickert.

Outros benefícios do pescado para o organismo

– A importância dos lipídeos (ou gordura) dos peixes na alimentação humana se deve à presença de ácidos graxos poliinsaturados (AGPI), principalmente os da série ômega ω-3, que ajuda a reduzir o risco de problemas cardiovasculares e de níveis de colesterol e triglicérides, por exemplo.

– De acordo com o teor de gordura, o pescado se divide em: magro (ex.: pescada, linguado, merluza, bacalhau) e gordo (ex.: sardinha, salmão, atum, cavalinha). O sabor de cada espécie sofre influências do conteúdo de gordura, sendo, em geral, os peixes gordos considerados por alguns consumidores como os mais saborosos, enquanto os magros apresentam sabor suave e agradam paladares mais requintados.

–  O pescado, em geral, apresenta alta capacidade digestiva, conforme a espécie, sendo maior que das carnes em geral e do leite.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

+

Prefeitura de Florianópolis

Loading...