Professoras de Xanxerê desenvolvem projeto gastronômico sem sair da sala aula

Alunos da escola Dom Oscar Arnulfo Romero participaram da degustação de alimentos que tem origem de outros países

As professoras do ensino fundamental Marli Terezinha Germano e Maria Elisa Madalena, da escola Dom Oscar Arnulfo Romero, de Xanxerê, no Oeste catarinense, desenvolveram o projeto ‘Viajando pelo mundo dos sabores’.

Professoras da escola de Xanxerê desenvolvem projeto que faz alunos degustarem alimentos diferentes de outros países – Foto: Governo de SC/Divulgação/NDProfessoras da escola de Xanxerê desenvolvem projeto que faz alunos degustarem alimentos diferentes de outros países – Foto: Governo de SC/Divulgação/ND

Aliando a degustação de alimentos com aulas de leitura e troca de experiências, as educadoras trabalharam com os alunos diferentes aspectos da alimentação ao redor do mundo.

A ideia surgiu em meio a uma aula de história na qual as professoras estavam trabalhando os primeiros cultivos agrícolas no mundo. Durante a aula, surgiram nomes de vários alimentos que não estão no dia a dia dos alunos, o que aumentou a curiosidade para conhecê-los.

Montagem do cardápio

Após uma pesquisa, uma das professoras produziu os alimentos em casa, seguindo todas as normas de higienização e cuidados contra a Covid-19.

Entre os alimentos apresentados estavam: salada de quinoa, milho espanhol (com mostarda e mel), quibe recheado assado, pasta de pimenta biquinho, amendoim doce com pimenta da Jamaica, granola, entre outros.

Aluna Evelyn provando alimentos durante a aula – Foto: Governo de SC/Divulgação/NDAluna Evelyn provando alimentos durante a aula – Foto: Governo de SC/Divulgação/ND

O que mais chamou a atenção dos alunos foram a flor de hibisco e a semente de abóbora torrada.

“O chá de hibisco teve uma ótima aceitação. Levamos as sementes de abóbora para mostrar que podemos ingerir todo o legume, não só a polpa. E ainda tivemos a semente do girassol em natura e a flor, para mostrar que ela também é comestível”, conta.

Surpresa entre os alunos

Uma das preocupações das professoras foi verificar se algum dos estudantes tinha alergia a algum alimento. Além disso, como se tratava de uma degustação, as porções para cada aluno foram pequenas, servidas individualmente em um copinho descartável.

A professora Maria Elisa destaca que a reação dos alunos ao sabor e textura dos alimentos foi divertida e surpreendente.

“Todos foram muito naturais e espontâneos. Houve muitos risos e caretas. A atividade foi rica em conhecimentos e interações com as duas turmas”, disse a professora.

A surpresa também ocorreu pela facilidade de aceitação dos estudantes.

“Eles não foram resistentes a nada. Nenhum aluno falou que não ia provar. Teve alguns que não gostaram de alguns alimentos, mas isso é normal, pois, cada pessoa tem o seu próprio paladar”, acrescenta a professora Maria Elisa.

Aluno Luan provando uma porção durante a iniciativa – Foto: Governo de SC/Divulgação/NDAluno Luan provando uma porção durante a iniciativa – Foto: Governo de SC/Divulgação/ND

Outro alimento que chamou a atenção foi a pimenta biquinho, que é suave.

“Servimos em forma de geleia em uma torradinha. A turma achava que todo tipo de pimenta ardia. Mostramos que existem pimentas que são saborosas, mas que não têm o ardor característico”, contou a professora.

A proposta conseguiu ainda despertar o interesse dos alunos para experimentar sabores diferentes, que não estão presentes habitualmente no cotidiano.

Interação entre disciplinas

O principal objetivo da iniciativa foi trazer uma experiência diferente para a sala de aula, unindo diferentes disciplinas, como história dos alimentos, ciências e português.

“Além da degustação, os alunos receberam um texto sobre um alimento. Cada aluno leu o texto escolhido e apresentou para a classe. Dessa forma, estudamos a língua portuguesa, por exemplo, e trabalhamos palavras que eles não conheciam”, salienta a profissional.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Educação