Projeto de escola pública de SC é selecionado para Mostra de Cinema de Ouro Preto

Alunos do núcleo audiovisual da Escola Básica Municipal de Florianópolis Maria Tomázia Coelho produziu curtas-metragens exibidos no YouTube

O Núcleo de Cinema MTC, da Escola Básica Municipal de Florianópolis Maria Tomázia Coelho, localizada no bairro do Santinho, foi selecionado para participar da 16ª edição da Mostra de Cinema de Ouro Preto virtual (CineOP), que acontece em Minas Gerais.

O Grupo, que produziu diversos curtas-metragens exibidos no YouTube, será representado pelo professor de geografia e coordenador do MTC, Luiz de Vasconcellos Ferreira Sobrinho, na mesa “Cinema e Educação”, nesta sexta-feira (25), às 14h.

Ele abordará a produção do Núcleo com foco em uma educação midiática e informacional crítica, uma vez que o núcleo tem como principal objetivo proporcionar aos estudantes a aprendizagem de novos conhecimentos por meio da produção e exibição de audiovisuais.

“Com tecnologias digitais de comunicação promovemos uma experiência de trabalhar com as mídias, através das mídias e para as mídias. Compete a nós, professores, darmos sentido pedagógico a esse uso. A produção de audiovisuais entra como uma nova linguagem forma de compreender e representar o mundo em que vivemos, podendo servir até mesmo para ampliar a inclusão dos mais diversos estudantes às atividades escolares”, esclarece o professor”, pontua Luiz.

Segundo o secretário de Educação Maurício Fernandes Pereira, a produção de audiovisuais no ensino fundamental é um recurso pedagógico com vasto potencial educacional. “Os estudantes podem desenvolver o pensamento crítico, acionar diferentes capacidades e aprender a trabalhar em grupo”, alerta.

Curtas-metragens produzidos pelo Núcleo de Cinema

“Vai ter peixe amanhã?” foi um dos primeiros filmes produzidos pelos
alunos da Escola Municipal Maria Tomázia Coelho e tem 8 minutos e 50 segundos de duração.

Filmado em Florianópolis e Itajaí, em 2013 e 2014, tem a pesca da tainha como pano de fundo. O documentário de curta-metragem apresenta entrevistas com pescadores artesanais, poder público e empresários que apresentam sua visão sobre a sustentabilidade pesqueira.

Já o “Jornal do consumo”, produzido em 2015, é um telejornal cujo principal objetivo é debater temas relativos ao consumo. Na matéria em questão, a investigação feita pelos alunos debate sobre a influência da TV no consumo.

Em 2018, dois curtas foram produzidos: “O Mundo” e “Em terra de Chapinha…”. O primeiro foi feito por estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental e utiliza a técnica cinematográfica de stop motion para abordar a diversidade cultural do mundo, enquanto o segundo conta uma história sobre empoderamento.

Entre sprays, looks, batons e muito amor, crianças e adolescentes reforçam a beleza negra apresenta uma mensagem de auto estima.

Um dos últimos filmes produzidos pela escola foi “A Jornada Final”, em 2019. Uaiti era um rapaz solitário que, de repente, começa a sentir que a vida poderia ser mais colorida. Decide, então, sair em busca de novas aventuras e nessa jornada conhece amigos que irão mudar sua vida para sempre.

O filme foi produzido a partir das vivências de quatro alunos autistas que fazem parte do processo de Educação Inclusiva e que frequentam o atendimento educacional especializado da Sala Multimeios, que disponibiliza espaços organizados em escolas-polos da Rede Municipal de Ensino da Cidade de Florianópolis com o objetivo de promover apoio, instrumentação e complementos aos educandos que possuem alguma deficiência física ou mental.

Sobre a CineOP

A Mostra de Cinema de Ouro Preto é pioneira desde a sua criação, em 2006, a preservar o audiovisual, a história e a educação ao tratar o cinema como um patrimônio e a programação prevê exibições de filmes em pré-estreias e mostras temáticas, homenagens e demais realizações.

Professor Luiz de Vasconcellos Ferreira e estudantes editando filmes antes da pandemia – Foto: Núcleo de Cinema MTC/Divulgação/ND
1 6
Professor Luiz de Vasconcellos Ferreira e estudantes editando filmes antes da pandemia – Foto: Núcleo de Cinema MTC/Divulgação/ND
Curta-metragem “A Jornada” fala sobre diferenças entre os indivíduos e companheirismo – Foto: Núcleo de Cinema MTC/Divulgação/ND
2 6
Curta-metragem “A Jornada” fala sobre diferenças entre os indivíduos e companheirismo – Foto: Núcleo de Cinema MTC/Divulgação/ND
Produzido por estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental, o filme “O Mundo” usa stop motion para abordar a diversidade cultural – Foto: Núcleo de Cinema MTC/Divulgação/ND
3 6
Produzido por estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental, o filme “O Mundo” usa stop motion para abordar a diversidade cultural – Foto: Núcleo de Cinema MTC/Divulgação/ND
Estudantes foram conhecer e compreender um pouco mais sobre sustentabilidade pesqueira para desenvolver o curta “Vai ter peixe amanhã?” – Foto: Núcleo de Cinema MTC/Divulgação/ND
4 6
Estudantes foram conhecer e compreender um pouco mais sobre sustentabilidade pesqueira para desenvolver o curta “Vai ter peixe amanhã?” – Foto: Núcleo de Cinema MTC/Divulgação/ND
“Em terra de Chapinha…” é um curta que conta uma história sobre o empoderamento feminino das meninas e mulheres negras- Foto: Núcleo de Cinema MTC/Divulgação/ND
5 6
“Em terra de Chapinha…” é um curta que conta uma história sobre o empoderamento feminino das meninas e mulheres negras- Foto: Núcleo de Cinema MTC/Divulgação/ND
Professor Luiz de Vasconcellos gravando entrevista com ajuda dos estudantes antes da pandemia – Foto: Núcleo de Cinema MTC/Divulgação/ND
6 6
Professor Luiz de Vasconcellos gravando entrevista com ajuda dos estudantes antes da pandemia – Foto: Núcleo de Cinema MTC/Divulgação/ND
+

Educação

Loading...