Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.


Relatório aponta distorções na distribuição geográfica de creches em Florianópolis

O relatório aprovado pelo TCE-SC (Tribunal de Contas do Estado) em 2017 sobre o contrato do BID com a Prefeitura de Florianópolis, e que serviu de base à representação que pode motivar uma auditoria do MP-SC, questiona os critérios adotados para definição dos locais para construção de novas creches. Segundo o documento, há casos em que não ficou comprovada a demanda nas comunidades, necessária para a tomada de decisão sobre a aplicação dos recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Segundo o secretário municipal da Educação, Maurício Fernandes Pereira, é o caso da obra prevista para o Ratones, bairro que já tinha uma unidade e onde não havia a carência de novas vagas. Agora, com anuência do BID, a prefeitura estuda usar o prédio novo para a instalação de uma escola-modelo em tempo integral. Outro exemplo é a creche prevista para a Lagoa da Conceição que, também com o aval do banco, terá o investimento remanejado para o Rio Vermelho. O contrato é de US$ 118 milhões, com contrapartida municipal de 50%, e previsão de 50 obras. De acordo com a atual gestão, 28,96% do cronograma foi executado até o final do ano passado, com investimentos de US$ 34,3 milhões..

IBGE: apenas 25% das crianças com menos de 4 anos frequentam creche ou escola - Marco Santiago/Arquivo/ND
Empréstimo do BID prevê investimento total de US$ 118  milhões na construção
de creches, com contrapartida de 50% do município- Marco Santiago/Arquivo/ND