Saiba como os alunos da rede estadual de educação serão avaliados em 2020

Estudantes serão avaliados por semestre e terão a frequência medida a partir da realização e entrega das atividades não presenciais

A SED (Secretaria do Estado da Educação) anunciou que os mais de 500 mil alunos da rede estadual de ensino serão avaliados por semestre no ano letivo de 2020, em função do modelo especial adotado em abril deste ano por causa da pandemia do novo coronavírus. O critério de avaliação de frequência dos estudantes será a realização e entrega das atividades não presenciais.

Avaliação semestral terá como referência os períodos de fevereiro a agosto e de setembro a dezembro – Foto: Renan Medeiros/ Arquivo Secom

A avaliação semestral terá como referência os períodos de fevereiro a agosto e de setembro a dezembro. E o fechamento das notas e conceitos do primeiro semestre será realizado até o dia 18 de setembro, quando devem ter ocorrido os conselhos de classe escolares. Eles darão ainda mais suporte à avaliação em 2020.

Aqueles que apresentarem médias abaixo de 6 em todas as disciplinas no semestre, apenas terão acesso às notas com a solicitação dos pais ou responsáveis, para que seja realizada uma recuperação do processo de aprendizagem.

Segundo o secretário da SED Natalino Uggioni, a definição desse processo de avaliação aponta para uma retomada de atividades presenciais diferente de como eram as aulas em fevereiro e que compreende um período de resgate e reforço na aprendizagem.

Para a diretora de Ensino em exercício, Maria Tereza Paulo Hermes Cobra, a proposta é que a avaliação seja ainda mais democrática, responsável e inclusiva neste momento atípico pelo qual a educação catarinense passa: “Enquanto rede estadual estamos dando um passo na continuidade desse movimento comprometido com o estudante e com o percurso pedagógico definido pelo nosso professor”.

Médias podem ser reconsideradas até o fim do ano

De acordo com a SED, o processo de replanejamento do segundo semestre letivo exige a intensificação da busca ativa pelas escolas e a garantia de recuperação paralela aos estudantes que, por diversos motivos, não participaram das atividades escolares no primeiro semestre. Neste conceito, as notas referentes a esse período do ano letivo podem mudar.

Médias publicadas ou que estiverem em aberto, no primeiro semestre, poderão ser reconsideradas até o final de 2020, junto com a divulgação da média anual. Os processos avaliativos de cada escola deverão ser amplamente comunicados às famílias, com os objetivos esclarecidos dentro do atual contexto de pandemia.

Secretário de Educação esclarece regras de retorno das aulas presenciais a deputados

Em uma audiência extraordinária na Assembleia Legislativa, na tarde desta terça-feira (1º), o secretário de Estado da Educação Natalino Uggioni esclareceu as regras para a retomada das aulas presenciais no sistema de ensino — com atividades previstas para depois de 12 de outubro, conforme a Portaria nº 612, conjunta entre a Secretaria de Estado da Saúde e a Educação.

Com base no acompanhamento realizado pelo Governo do Estado, considerando a Avaliação de Risco Potencial nas Regiões de Saúde (Portaria nº 592/2020) de níveis Gravíssimo a Moderado, a SED projeta a retomada de atividades presenciais após o mapa em todo o Estado alcançar a estabilidade no risco moderado.

O status permitirá o retorno gradual dos alunos em todas as redes de ensino, a partir dos últimos anos da educação básica, como o Ensino Médio, Técnico e Profissionalizante, até a retomada dos anos finais do Fundamental, dos anos iniciais e, por último, da educação infantil.

“Precisamos cuidar para que esse movimento de retorno das aulas presenciais seja o mais suave possível, para não comprometermos o processo de educação e não piorarmos o quadro da saúde em Santa Catarina. Seria drástico voltarmos e duas semanas depois provocarmos uma explosão do número de infectados pelo vírus e fechar tudo de novo. O Estado tem tomado todas as decisões até aqui primando pela segurança de todos os envolvidos no processo de educação”, destacou o secretário Natalino Uggioni.

O documento normativo sobre os regramentos e adaptações que serão necessários para o retorno das aulas presenciais foi apresentado na última sexta-feira (28). Elaborado pela Defesa Civil em conjunto com outras 14 entidades, o Plano Estadual de Contingência para a Educação orienta as respostas para os cenários de risco e estabelece procedimentos de como deve ser feita a preparação de um futuro retorno às salas de aulas.

A partir do documento, os municípios e redes de ensino poderão desenvolver os próprios protocolos, seguindo a metodologia do Plano Estadual de Contingência e adaptando alguns critérios de acordo com a especificidade do público escolar.

+

Educação