Saiba como se capacitar de forma rápida para se tornar professor

Com o mercado da educação aquecido, a formação pedagógica é um programa essencial para quem quer dar aulas, mas não tem licenciatura

Desde o ano passado, quando fomos ‘forçados’ a nos isolar em nossas casas devido à pandemia, uma das necessidades básicas, a educação, vem sendo continuamente debatida e considerada como um serviço essencial, atraindo muitos profissionais para essa área.

Entretanto, boa parte dos docentes no Brasil não é formada nas áreas que lecionam, o que prejudica a aprendizagem dos alunos e profissionais de outros ramos precisam de uma licenciatura para ingressar no magistério.

Em vez de começar outra graduação – o que pode ser demorado e inviável, quem já é formado em nível superior (ainda que sejam bacharéis ou tecnólogos) pode optar pela formação pedagógica, uma licenciatura de curta duração, criada com o objetivo de formar professores em caráter emergencial.

<span style="font-weight: 400;">A formação pedagógica permite obter licenciatura e se tornar professor &#8211; Foto: Getty Images/iStockphoto/ND</span>A formação pedagógica permite obter licenciatura e se tornar professor – Foto: Getty Images/iStockphoto/ND

Como funciona e quem pode fazer?

Criada para suprir a necessidade de docentes qualificados (Lei 9.394/96, alterada pela Lei 13.415/2017) e regulamentado pela Resolução CNE/CP Nº 2, de 20 de dezembro de 2019), a formação pedagógica é uma oportunidade para atuar como professor nos ensinos fundamental e médio, educação de jovens e adultos (EJA) e ensino profissionalizante, tanto na rede pública quanto particular.

Conforme a determinação do MEC (Ministério da Educação), não é preciso ser formado na área da disciplina escolhida para o curso (exceto para a disciplina de Educação Física, que pede um bacharelado na mesma área), porém a formação inicial deve ter no mínimo 160 horas de disciplinas correlacionadas à formação pedagógica escolhida.

Desse modo, engenheiros, farmacêuticos, administradores e pessoas das mais diferentes áreas que desejam lecionar, conseguem se habilitar como professores e estar aptos a atuar na rede pública ou particular de ensino. Com a complementação, o aluno recebe um certificado que o habilita na licenciatura desejada de Artes Visuais, História, Geografia, Biologia, Letras (Português, Inglês ou Espanhol), Matemática, Sociologia, Educação Física, Química ou Pedagogia.

Os cursos abordam os aspectos pedagógicos e preparam os profissionais para o exercício da docência nos mais diversos campos do saber.

Vantagens da complementação

De acordo com levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o número de empresas ativas no país vem caindo desde 2013, mas aquelas ligadas à área da educação tiveram um aumento de 37,5%, ampliando as demandas do setor por profissionais preparados e habilitados.

Com esta oportunidade é possível ter uma habilitação através de uma nova graduação em menor tempo e concluir o curso estudando de onde estiver e quando quiser, assim concluindo seu curso mais rápido. Em vez de levar quatro anos, você pode terminar os estudos entre seis meses e um ano e meio na modalidade EAD (ensino à distância), dependendo da sua rotina e disponibilidade.

O diploma de formação pedagógica também é aceito em concursos no Brasil inteiro. Dessa forma, é possível concorrer a vagas em escolas e órgãos públicos da educação para trabalhar na área da docência, administrativa, de gestão, entre outras.

<span style="font-weight: 400;">Pandemia reforçou importância do professor na educação das crianças, jovens e adultos &#8211; Foto: Getty Images/ND</span>Pandemia reforçou importância do professor na educação das crianças, jovens e adultos – Foto: Getty Images/ND

Retorno financeiro

Mas vale a pena ser professor? Sim, e prova disso é a iniciativa do governo de Santa Catarina que enviou à Alesc (Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina) uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que prevê remuneração mínima de R$ 5 mil aos professores com curso superior e jornada de 40 horas semanais.

A proposta ainda será analisada nas comissões de Constituição e Justiça (CCJ), Finanças e Tributação e de Educação, Cultura e Desporto. Caso aprovada pelo Legislativo, a medida abrangerá os servidores ativos e inativos e admitidos em caráter temporário, os ACTs.

Em paralelo à PEC, o Governo do Estado trabalha na descompactação da carreira do magistério, o que permitirá que o profissional inicie a carreira recebendo R$ 5 mil, mas possa aumentar sua remuneração com cursos de aperfeiçoamento e capacitação até o nível de doutorado, podendo chegar a R$ 11 mil, tornando a carreira no ensino público ainda mais atrativa.

Mas além do salário, investir em uma formação pedagógica permite lecionar uma matéria diferente, manter-se atualizado e aumentar suas chances de conseguir passar em concursos públicos.

Onde estudar

Para descobrir mais sobre essa capacitação, procure faculdades reconhecidas pelo MEC, como a UniBF, que oferece cursos de formação pedagógica para as mais diversas áreas.

Na opção EAD, a complementação da UniBF pode ser concluída a partir de seis meses, com aulas 100% online, videoaulas e materiais disponíveis no Portal do Aluno. São cursos intensivos de qualidade para quem busca formação rápida na comodidade da sua casa.

+

Faculdade UniBF

Loading...