SC adota busca ativa e bolsa de estudo para resgatar alunos que abandonaram a escola

Estimativa é que 8 mil alunos seguem sem responder as atividades propostas e sem frequentar o ambiente escolar neste ano; Bolsa Estudante precisa passar por aprovação na Alesc

A busca ativa por alunos que abandonaram as escolas estaduais é uma das maneiras que o Governo de Santa Catarina adotou para diminuir a evasão escolar, onde 10 mil estudantes pararam de frequentar o ambiente ou realizaram atividades em 2021.

Estimativa é que 8  mil alunos seguem fora do ambiente escolar em 2021 – Foto: Leo Munhoz/NDEstimativa é que 8  mil alunos seguem fora do ambiente escolar em 2021 – Foto: Leo Munhoz/ND

De acordo com a SED (Secretaria Estadual de Educação), a gestão de cada unidade estadual entra em contato com os alunos e familiares para compreender o não cumprimento das atividades escolares e o abandono das aulas. Assim como reforçar a importância do vínculo com a escola.

Ainda conforme a pasta, a rede estadual disponibiliza uma ferramenta tecnológica para apoiar as unidades escolares na busca ativa e seguindo três modelos:

  • Os alunos que estão em 100% das aulas presenciais são chamados pelo Programa APOIA (Aviso Por Infrequência do Aluno), auxiliado pelo MPSC (Ministério de Santa Catarina) e conselhos tutelares;
  • A busca por estudantes que estão no método misto é realizada através de um formulário da busca ativa, quando observado no tempo de escola a ausência do aluno por cinco dias consecutivos ou cinco dias alternados, no período de um mês;
  • Caso os alunos que seguem a opção 100% remoto não apresentem nenhuma atividade oferecida pelo professor no intervalo de 15 dias, será aplicado o formulário de busca ativa.

Segundo a pasta, a proximidade é realizada por e-mail, telefone, aplicativo de mensagem ou videoconferências com os pais ou responsáveis pelo estudante. A SED afirma que, caso necessário, será realizada a busca no endereço do aluno.

“Temos uma preocupação para que os estudantes não deixem de frequentar a escola, por isso ampliamos a busca ativa dos alunos que perderam este contato nos últimos meses”, explica o secretário de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro.

A busca ativa é realizada com a articulação entre as escolas estaduais e rede de proteção dos municípios, formada pelos Cras (Centro de Referência de Assistência Social), Caps (Centro de Atenção Psicossocial), Capsi (Centro de Atenção Psicossocial Infantil) e Nasf (Núcleo Ampliado de Saúde da Família) e Conselho o Tutelar.

Bolsa Estudante em SC

Assim como trouxe o ND+, a criação de um auxílio financeiro para garantir o retorno e a permanência dos alunos do Ensino Médio e EJA (Ensino de Jovens e Adultos) nas escolas estaduais deve tramitar na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) na próxima semana.

Segundo o secretário Vampiro, o projeto deve ser aprovado sem maiores dificuldades, pois já outros Estados seguindo o mesmo caminho por conta das alterações no plano do Ensino Médio.

O valor anual proposto pelo projeto é de R$ 6.250, dividido em 11 pagamentos mensais de R$ 568, entre fevereiro e dezembro. A Secretaria de Educação prevê investimento de R$ 375 milhões para garantir o programa.

Os pagamentos serão realizados por meio de depósitos bancários na conta do aluno ou seu responsável legal.

No total, são 60 mil cadastros disponíveis, restritos aos alunos do EJA e do Ensino Médio. Somadas, as duas redes contam com 220 mil estudantes. Ou seja, cerca de 27,2% dos alunos receberão o auxílio, caso aprovado.

Evasão escolar

Dos 10 mil alunos que pararam de frequentar a escola ao longo do ano, 8 mil ainda não retornaram. Ou seja, não vão de forma presencial e não respondem atividades, mas não são considerados abandono ou evasão escolar. São 1.064 escolas da rede estadual monitoradas por um painel da secretaria .

Conforme a SED, o abandono escolar é caracterizado quando, ao fim do ano letivo, o aluno perdeu o contato com a escola e não respondeu às tentativas de trazê-lo de volta. Enquanto a evasão é considerada quando o estudante abandonou a escola e não retorna no ano seguinte.

Ainda de acordo com a pasta, a pandemia do coronavírus foi um dos fatores para o abandono e evasão de estudantes da rede de ensino.

+

Educação

Loading...