Serra Catarinense não retornará às aulas presenciais em 2020

A decisão foi unânime entre os prefeitos e secretários de educação dos 18 municípios da Associação dos Municípios da Região Serrana; aulas seguem a distância

Após a regulamentação do retorno às atividades presenciais nas escolas públicas e privadas de Santa Catarina, os municípios pertencentes à Amures (Associação dos Municípios da Região Serrana), decidiram não retornar às aulas presenciais em 2020. A decisão, tomada em reunião nesta semana, foi unanime entre os prefeitos e secretários de educação das 18 cidades da região Serrana.

Atividades escolares seguirão a distância nos municípios da Serra Catarinense – Foto: Getty Images

Os municípios continuarão com as atividades a distância para manter as medidas de restrições e combate à Covid-19. Segundo dados de pesquisa realizada pelo Cisama (Consórcio Intermunicipal da Serra Catarinense) de 40% a 90% das famílias responderam às Secretarias de Educação que não enviarão seus filhos às escolas, com o retorno das aulas presenciais.

Uma das justificativas para a não retomada é o risco de novas contaminações em decorrência do aumento da circulação de pessoas, uma vez que as crianças são, em geral, assintomáticas. O presidente da Amures, Celso Rogério Alves Ribeiro, observa que há limitações orçamentárias e financeiras. “Nossa decisão é de colegiado e assim evitamos aglomerações como tem recomendado o Ministério Público”, destaca.

Na próxima semana o assunto será discutido caso a caso junto com a Secretaria de Estado da Educação.

Em Lages

No município de Lages, o maior da região Serrana, os cerca de 17 mil estudantes das 129 escolas da rede municipal não retornarão às salas de aula neste ano. Segundo o prefeito de Lages, Antônio Ceron, se houver uma piora da matriz de avaliação de risco potencial com as aulas presenciais em curso,  a situação pode piorar e gerar dúvidas tanto entre gestores quanto na população.

Salas de aula permanecerão vazias em 2020 – Foto: Max Klingensmith/Flickr/ND

A secretária de educação de Lages, Ivana Helena Michaltchuck, observa que as atividades curriculares continuam sendo desenvolvidas com entregas online e física, feitas pelos pais das crianças. “Cerca de 99% dos estudantes estão retirando as atividades e participando das aulas de forma não presencial. Vamos validar as 800 horas do ano letivo sem colocar em risco a saúde de estudantes e professores”, explica. 

Michaltchuck ressalta que os alunos com deficiência, cerca de 308, estão sendo acompanhadas pelo professores com visitas mensais em casa. “Nesses encontros os alunos recebem as atividades pedagógicas, o kit da merenda escolar e um kit de higiene. Todos os conteúdos são adaptados conforme a necessidade do estudante para não prejudicar a aprendizagem”, conclui.

Rede particular

Na rede particular de ensino, a decisão ainda segue em aberto em Lages. A prefeitura realizará, na próxima semana, reuniões com o Comitê Municipal para decidir o andamento das atividades.

Municípios

Fazem parte da região da Amures os municípios: Anita Garibaldi, Bocaina do Sul, Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, Campo Belo do Sul, Capão Alto, Cerro Negro, Correia Pinto, Lages, Otacílio Costa, Painel Palmeira, Ponte Alta, Rio Rufino, São Joaquim, São José do Cerrito, Urubici e Urupema.

+

Educação