UFFS de Chapecó retoma atividades nesta segunda-feira

Aulas da Universidade Federal da Fronteira Sul seguirão protocolo de biossegurança e diretrizes institucionais e semestre letivo deve encerrar em janeiro

A UFFS (Universidade Federal da Fronteira Sul) de Chapecó retoma as atividades letivas nesta segunda-feira (21). O início do semestre 2020.1 tem previsão para encerrar em 30 de janeiro de 2021. O Consuni (Conselho Universitário), definiu um protocolo de biossegurança e diretrizes institucionais para o retorno das atividades. 

O semestre letivo tem previsão de término para janeiro de 2021 – Foto: Assessoria da Universidade Federal da Fronteira Sul

A UFFS Chapecó fez seu subplano, aprovado no conselho do campus, e estabeleceu o NSO (Nível de Segurança Operacional) como nível 4 (grave) para o mês de setembro. Com isso, a maior parte das atividades serão desenvolvidas remota ou semi presencialmente. No fim de cada mês ou excepcionalmente no caso de agravamento da situação, o Conselho do Campus Chapecó vai rever a situação.

“A retomada das atividades acadêmicas no Campus Chapecó se dará com poucas atividades presenciais, o estritamente necessário, como em alguns laboratórios e nos internatos do curso de Medicina, e a maioria das atividades segue sendo remota. É o NSO que definirá quantas e quais atividades serão feitas presencialmente”, explica o diretor da UFFS Chapecó, Roberto Mauro Dall’Agnol.

Nesse período de pandemia, uma parcela das aulas foi realizada remotamente. Agora, a decisão é de que todos os cursos – cada um dentro da sua especificidade – retomarão as aulas.

Para que estudantes sem acesso à internet ou equipamentos como notebooks, a UFFS abriu edital de processo seletivo para inclusão digital. A ação teve o objetivo de conceder auxílio financeiro e acesso ao programa “Alunos Conectados”, via RNP (Rede Nacional de Ensino e Pesquisa /MEC), para viabilizar acesso às aulas remotas, aos estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, enquanto perdurar a pandemia da Covid-19.

Na UFFS Chapecó, há aproximadamente 350 estudantes em vulnerabilidade socioeconômica que poderão receber o auxílio.

+

Educação