Unochapecó lança edição inédita do curso de pós-graduação em UX DESIGN

Oportunidade para quem quer ampliar os conhecimentos e entregar a melhor experiência ao usuário

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

UX, em português, experiência do usuário, estratégia que objetiva entregar uma melhor experiência ao usuário de um produto ou serviço, seja ele digital ou físico. O profissional que estuda, pesquisa, desenvolve e executa ações focadas no usuário e na experiência e satisfação dele dentro de uma plataforma ou ambiente físico, é o UX Designer.

A Unochapecó – Universidade Comunitária da Região de Chapecó – está com matrículas abertas para o curso de Especialização Lato Sensu em UX Design, destinado para profissionais e empresários que atuam nas áreas de design, publicidade, jornalismo, marketing, arquitetura, administração, engenharia, e demais interessados em ampliar os seus conhecimentos e potencializar a sua relevância no mercado de trabalho por meio da capacitação ou aperfeiçoamento nos temas e métodos relacionados a UX design. As aulas serão on-line, ao vivo.

Acesse: www.unochapeco.edu.br/pos e matricule-se!

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

Para o UX Designer, Júnior Beluzzo, aluno formando em Design pela Unochapecó, “o UX Designer é um profissional muito generalista, porque ele precisa entender um pouco de pesquisa, entender de arquitetura de informação, de usabilidade, todos os fatores possíveis, até mesmo questões estéticas da aparência de uma interface, porque tudo isso pode definir a experiência que o usuário de um determinado produto ou serviço vai ter no final da jornada dele”, definiu.

Júnior Beluzzo, UX Designer - Divulgação
1 2
Júnior Beluzzo, UX Designer - Divulgação
Júnior Beluzzo, UX Designer - Divulgação
2 2
Júnior Beluzzo, UX Designer - Divulgação

O UX Designer advoga pelo usuário e isso acaba trazendo benefícios para o produto ou o serviço que a empresa oferece. “As empresas perceberam que elas não conseguiriam atender às necessidades do usuário se não tivessem um profissional que projetasse a experiência dele. Eu penso que existem vários outros benefícios para uma empresa, entre eles, reduzir o gasto com o suporte, por exemplo”, enfatizou Júnior.

Julia Petit, Desinger e Social Media da Amplimed – Foto: DivulgaçãoJulia Petit, Desinger e Social Media da Amplimed – Foto: Divulgação

A Designer e Social Media da Amplimed, Julia de Brito Petit, egressa de Design da Unochapecó, disse que entre 2018 e 2019 houve um crescimento de 70% por profissional do Design UX. ”As empresas estão começando a pensar mais no Design UX. A gente fala desse profissional, e pensa muito nas plataformas digitais, mas ele não está só nisso. O Design UX pode estar até no som né. Então quando a gente ouve por exemplo a Netflix, a gente ouve o ‘tu dum’ da Netflix, aquilo também é uma experiência do usuário”, exemplificou a Designer.

Julia Petit, Desinger e Social Media da Amplimed – Foto: DivulgaçãoJulia Petit, Desinger e Social Media da Amplimed – Foto: Divulgação

Júnior deu outro exemplo para justificar a importância da atuação do Designer UX. “Num ecommerce, por exemplo, eu quero melhorar a experiência de compra do usuário, eu posso ter um UX Designer que vê toda a jornada desse usuário pra tornar o processo de compra mais rápido e assim deixar o usuário mais feliz”, explicou.

Júnior Beluzzo, UX Designer - Divulgação
1 2
Júnior Beluzzo, UX Designer - Divulgação
Júnior Beluzzo, UX Designer - Divulgação
2 2
Júnior Beluzzo, UX Designer - Divulgação

Julia lembrou ainda que o UX Designer pode atuar em segmentos variados. “Tem muitas empresas que não trabalham com tecnologia mas também querem prestar alguma coisa sensorial até, ou física. Um estande, por exemplo, em uma feira, também pode ser pensado sob o ponto de vista do UX, na usabilidade das pessoas que vão estar visitando o espaço”, complementou.

Equipe de Marketing e Design da Amplimed – Foto: DivulgaçãoEquipe de Marketing e Design da Amplimed – Foto: Divulgação

Com relação a importância da especialização em UX, Júnior comentou que é fundamental buscar conhecimento. “Fortalecer as experiências técnicas farão com que o profissional se sinta mais seguro no mercado de trabalho e possa de fato conduzir pesquisas, lidar com esses projetos de forma mais eficaz, atingir os objetivos que a empresa precisa e, ao mesmo tempo, atender as necessidades que o usuário tem para realizar as funções do dia a dia com o produto ou serviço que aquela empresa oferece”.

Mercado demanda por UX Designers – Foto: DivulgaçãoMercado demanda por UX Designers – Foto: Divulgação

Beluzzo concluiu avaliando que “faltam profissionais que pensem no UX Design como algo extremamente estratégico e que pode facilitar a tomada de decisão dos gestores”.

Julia finalizou ressaltando a grande oportunidade que a Unochapecó está oferecendo com o curso inédito de Pós-Graduação em UX Design. “Então a Uno está trazendo uma grande especialização né, porque a gente tem poucas no mercado, e é sempre bom a gente ser especialista no design. É uma área que está muito aquecida, então os profissionais do design UX, especialistas né, vão ganhar mais também”.

“Como o termo UX ficou mais difundido depois de meados de 1990, com David Norman, a gente começou a trazer muito isso, principalmente, para o contexto digital. Só que a gente esquece que a interface, que é o que está ligado diretamente com a experiência do usuário, não é só uma tela, um software, ou um aplicativo. A interface nada mais é que um mediador. Se você tem um macarrão, e você quer comer seu macarrão quentinho, você precisa de um microondas que é um intermediador para essa ação acontecer. E se você tem uma experiência ruim com seu microondas, você vai sair insatisfeito. Seu macarrão não vai esquentar direito, ou ele vai esquentar demais, então a interface seja física ou digital, ela precisa ser simples pro usuário poder utilizar, então tem todo esse processo que funciona por trás pra entender quem é a persona que vai estar utilizando, qual que é a capacidade mental, qual é o tipo de esforço que essa pessoa tem que fazer para realizar as ações dela. Então está tudo conectado nisso”.

Carolina Werlang, Product Designer da Compass.UOL

“Como eu trabalho com produtos digitais, eu tenho que entender a jornada do usuário, quais são os problemas e as dificuldades dele. O UX hoje em dia não tem que estar só ligado a interface, ou só ligado a desenho, como a gente chama. É muito importante ele estar atento a todo o ambiente empresarial, para poder explicar a sua tomada de decisão para pessoas que não estão familiarizadas com a rotina do UX”.

“Existem técnicas, eu não consigo apresentar um design para um diretor de uma empresa, por exemplo, falando eu ‘acho que o botão tem que ser na parte inferior’. Claro, a gente tem a vivência, tem a experiência, mas eu preciso de dados para mostrar pra ele que o botão tem que ser ali. Há técnicas que a gente utiliza, desde entrevista com o usuário, mapa de calor na interface, onde o usuário mais clica, onde o botão da enquete do instagram vem sendo mais posicionado. Por quê? O fato é que existem diversas técnicas que fazem a gente chegar no resultado”.

Jean Carlos da Campo, Líder de Design de Produto da IXCSoft

Júnior Beluzzo, UX Designer – Foto: DivulgaçãoJúnior Beluzzo, UX Designer – Foto: Divulgação

Siga as redes sociais da Pós-Graduação da Unochapecó.

Instagram

Facebook

LinkedIn

+

Pós-graduação Unochapecó

Loading...