Veja como foi a volta às aulas na rede municipal de Joinville

Mais de 74 mil alunos retornaram às escolas nesta segunda-feira (8), tanto presencialmente quanto remotamente

A ansiedade do primeiro dia de aula estava estampada no rosto dos alunos após meses longe das salas de aula em Joinville, no Norte do Estado. Nesta segunda-feira (8), mais de 74 mil estudantes da rede municipal de ensino retornaram às atividades.

veja como foi o retorno nas escolas de Joinville Mais de 74 mil alunos voltaram às atividades nesta segunda (8) – Foto: Kelly Borges/NDTV

Mas, diferente do ano passado quando o início do ano letivo era marcado pelo abraço e o carinho dos alunos ao rever os colegas de classe, em 2021 o retorno ganhou um ar diferente: distanciamento social, máscaras, aferição da temperatura e o uso do álcool em gel.

Devido à Covid-19, as escolas precisaram passar por adaptações, para evitar um possível contágio da doença. Por isso, a Secretaria de Educação adotou o modelo híbrido para o retorno.

Ou seja: em uma semana metade da turma tem aula presencial, enquanto o restante continua com as atividades online. Na semana seguinte, há a troca.

Mesmo com a mudança na forma como as atividades serão conduzidas, o secretário de educação de Joinville, Diego Callegari, garante que isso não sobrecarregará os professores.

“Enquanto o professor estiver na sala de aula, outro estará ficará responsável por responder as perguntas por meio do aplicativo ‘Fale com o Professor’. Assim, ele não terá que atender os dois ao mesmo tempo”, conta.

Ao longo da última semana, as escolas informaram aos pais em qual grupo, neste primeiro momento, o aluno seria inserido – aulas presenciais ou ensino remoto.

Alunos tiveram a temperatura medida na entrada das unidades – Foto: Kelly Borges/NDTVAlunos tiveram a temperatura medida na entrada das unidades – Foto: Kelly Borges/NDTV

Maioria dos pais aderiram a volta presencial

Apesar dos receios, grande parte dos responsáveis decidiram pelo retorno dos filhos às escolas. Entre eles, Darlene Rocha, mãe do pequeno Asaph, que afirma que as aulas presenciais são importantes no aprendizado da criança.

“No ano passado foi bem diferente. Nós procuramos acompanhar, pesquisar e se informar para, sempre que ele tinha dificuldade, sanar as dúvidas. Sabemos que a aprendizagem não foi o esperado, mas era o que tinha no momento. Nada substitui a aula presencial”, afirma.

A alta adesão, inclusive, foi vista como algo positivo pelo secretário de educação.

“Era isso que nós esperávamos. Todos estão respeitando o distanciamento, usando máscaras, álcool em gel. Todas as precauções estão sendo tomadas e está ocorrendo como esperávamos”, afirma.

Callegari relembra, ainda, que caso os pais não queiram mandar os filhos para as escolas, os estudantes podem continuar no ensino remoto, assim como aqueles que possuem algum tipo de comorbidade.

Adesão pela volta das aulas presenciais foi alta entre os responsáveis – Foto: Kelly Borges/NDTVAdesão pela volta das aulas presenciais foi alta entre os responsáveis – Foto: Kelly Borges/NDTV

Ambientes tiveram que passar por mudanças

Além do distanciamento social nas salas de aula, outros ambientes também tiveram que passar por mudanças para garantir um retorno seguro a alunos e professores.

Entre elas, está na maneira como a merenda escolar será distribuída, de forma individual. Já os bebedouros serão usados somente para abastecer garrafas individuais.

Outra mudança está nas aulas de educação física que, a partir da agora, não terá os esportes de contato, para que se mantenha o distanciamento entre os estudantes.

“Os professores e funcionários passaram por treinamentos e estão preparados para que não tenha nenhum problema dentro das nossas salas de aula”, enfatiza o prefeito de Joinville, Adriano Silva.

O uso de máscara é obrigatório aos alunos e professores – Foto: Jonathan Rocha/NDTVO uso de máscara é obrigatório aos alunos e professores – Foto: Jonathan Rocha/NDTV

Escolas particulares também retornaram com as atividades

Desde a semana passada, a rede particular de ensino retoma as aulas em Joinville. Por estar no nível gravíssimo, estabelecido pela matriz de risco do Estado, as escolas na região só podem funcionar com 50% da capacidade total.

Devido a isso, as unidades tem optado por atender no sistema híbrido: uma parte dos alunos participa das aulas presenciais, enquanto a outra realiza as atividades online.

Em uma das escolas, localizada no bairro Iririú, as salas de aula foram adaptadas com um número de carteiras menor e com distanciamento de 1,5 m entre elas. Outra medidas adotada foi o horário diferenciado de entrada, saída e intervalos de turmas, para evitar aglomerações.

Rede estadual retorna no dia 18 de fevereiro

Na rede estadual, o retorno será no dia 18 de fevereiro, também com uma série de regras. As aulas seguirão três modelos:

  • 100% presencial: o primeiro será aplicado nas escolas que dispuserem de salas com infraestrutura adequada para realizar o distanciamento de 1,5 metro exigido entre as carteiras dos alunos;
  • Misto: caso a região onde está a escola estiver no nível gravíssimo da matriz de risco estadual, a unidade terá que atender no modelo misto, que incluirá a maioria dos alunos e funciona com alternância dos grupos que frequentam a escola, dividido em dois momentos: o “Tempo Escola” e o “Tempo Casa”. O primeiro consiste no atendimento presencial na unidade escolar, com turmas subdividas em grupos. Já as atividades pedagógicas que compõem o “Tempo Casa” podem ser realizadas com ou sem a mediação por tecnologias digitais, com orientação para que as escolas criem dinâmicas para que os estudantes sem acesso possam, sempre que possível, integrar-se às atividades em espaços disponibilizados na unidade;
  • Modelo 100% online: ele continua em 2021 para os cerca de 28 mil alunos da rede estadual que, comprovadamente, fazem parte de grupo de risco para Covid-19, assim como os professores. Ela também será ofertada para os pais que optarem por manter os filhos em casa.

Também haverá novidades no transporte escolar, onde as escolas, em conjunto com a rede municipal, deverão organizar o roteiro de circulação dos veículos para atender os modelos pedagógicos que estarão vigentes. A orientação é priorizar os agrupamentos de alunos presenciais por proximidade.

Já na alimentação escolar, a secretaria manterá a entrega dos kits de alimentação escolar aos alunos, mesmo para aqueles que retornem às atividades presenciais em quaisquer dos dois modelos. O serviço de bufê, existente em algumas escolas em 2020, não será aplicado em nenhuma unidade.

*Com informações da repórter Kelly Borges, da NDTV

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Educação