Vigilância Sanitária libera escola Maria Amin Ghanem, em Joinville

Reunião vai discutir nesta quarta-feira (25) como será o retorno dos alunos à unidade, interditada desde dezembro por problemas na estrutura

Luciano Moraes/Arquivo

Em fevereiro, pais e alunos foram às ruas protestar contra a interdição

A Vigilância Sanitária liberou na tarde desta terça-feira (24) a Escola Estadual Maria Amin Ghanem, no Aventureiro, interditada desde dezembro. A liberação foi dada depois que a SDR (Secretaria de Desenvolvimento Regional) protocolou junto à Vigilância um documento com o cronograma de reforma geral do prédio.

A desinterdição, segundo a fiscal sanitarista Lia Renata Abreu, atendeu ofício do juiz Roberto Lepper, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Joinville, onde afirmava que a liberação dependia apenas da Vigilância Sanitária. Os documentos apresentados pela SDR à Justiça davam conta de que não haveria riscos aos alunos e que a reforma geral está prevista na unidade.

A reabertura, no entanto, está condicionada ao cumprimento das melhorias previstas. “Havendo o agravamento das irregularidades apontadas no auto de interdição e o não cumprimento das obras no prazo, a unidade voltará a ser interditada”, salientou a fiscal. Na tarde de hoje, às 14h, uma reunião da SDR com a Gered (Gerência Regional de Educação), direção da escola e APP (Associação de Pais e Professores) vai discutir como e quando será o retorno dos alunos, que estão tendo aulas em espaços alternativos. 

Sobre as obras, a SDR informa que já existe um projeto pronto. A licitação está prevista para ser aberta em julho, com início das obras em setembro, se o processo burocrático correr bem.

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Educação