Chapecó é a quinta cidade do Brasil em ranking de geração de empregos

Dados do Caged mostram o desempenho positivo do município nos quatro primeiros meses de 2020, em meio à pandemia de Covid-19

Após um período de mudanças no sistema, o Ministério da Economia voltou a divulgar os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Os números apresentados recentemente são referentes aos quatro primeiros meses deste ano. E mais uma vez Chapecó despontou no ranking de geração de empregos no País.

Chapecó é a 5ª cidade do país na geração de empregos – Reprodução/NDChapecó é a 5ª cidade do país na geração de empregos – Reprodução/ND

Na análise nacional das cidades que abriram ou fecharam vagas de trabalho, Chapecó aparece em quinto lugar geral, compondo o seleto grupo de 18 municípios brasileiros com saldo positivo, deixando para trás grandes capitais e cidades do mesmo porte. O saldo do acumulado do ano é de 1.554 vagas. 

Os setores que mantiveram o maior número de empregados nestes quatro meses, foram a construção civil, serviços de saúde e principalmente o da indústria de transformação, que de 5.544 admissões, teve 3.951 demissões e obteve um saldo de 2.345 vagas de empregos mantidas. 

Para o Prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, o detalhamento dos dados mostra que o município segue se destacando pela sua principal vocação econômica. “Hoje, 78% de tudo que se produz no Município vem da indústria, vem do agronegócio. E ela foi a responsável por manter nestes primeiros meses do ano a empregabilidade e os novos investimentos. Isso fez com que a gente se tornasse a cidade que mais produz proteína suína do Brasil, reforçando que toda a cadeia da indústria e do agronegócio seguem gerando bons resultados para a nossa economia”, reforça Buligon.

Pandemia x empregos 

No comparativo com outros municípios em Santa Catarina, Chapecó apresentou um ótimo desempenho entre janeiro e março com saldo positivo entre admissões e demissões. A diferença está no mês abril onde é possível observar os primeiros impactos da pandemia, quando a cidade apresentou uma variação no saldo de -1,93%. 

Apesar disso, o Secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Arthur Badalotti Smaniotto, explica que por abril ter apresentado dados de geração de emprego abaixo da média e até mesmo com saldo negativo, ao analisar o cenário de forma ampla é possível observar que 2019 encerrou e 2020 iniciou com um acumulado positivo no número de postos de trabalho. 

“Terminamos 2019 com mais de 81 mil empregos formais e começamos 2020 com números positivos, gerando mais de 1.500 novas vagas de emprego. Com isso, somos a única cidade, entre as treze maiores do Estado, com saldo positivo na geração de vagas de trabalho neste primeiro quadrimestre do ano”, explica o secretário.

Leia também:

Outro fator que precisa ser considerado neste cenário e que foi fundamental para impulsionar a geração de empregos nestes primeiros meses, foi o crescimento de 20% no número de abertura de empresas em Chapecó, comparado ao mesmo período de do ano passado. O saldo em 2019 neste mesmo período foi de 792, já em 2020 foi de 1.023.

Essa análise mostra que apesar do momento conturbado e incerto, Chapecó segue sendo um diferencial perante o cenário estadual e nacional. Isso faz com que a expectativa da nossa retomada pós pandemia seja mais rápida. Na visão do prefeito Buligon, mais uma vez o agronegócio será o grande responsável por manter e recuperar a econômica e postos de trabalho em Chapecó. 

“Por ser considerada um serviço essencial, ou seja, em nenhum momento as atividades pararam, a cadeia do agronegócio será a responsável pela nossa recuperação, já que este setor segue em aquecimento, mantendo e em muitos casos aumentando a empregabilidade”, salienta o prefeito. 

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

+ Empregos e Concursos