Área cultural do Brasil perde dois nomes pelo novo coronavírus

Atualizado

A Covid-19 causou duas perdas na área cultural nesta semana: a maestrina do Coral Paulistano Mário de Andrade, do Theatro Municipal de São Paulo, Naomi Munakata, que morreu nesta quinta-feira (26), aos 64 anos. Ela nasceu em Hiroshima, no Japão, e veio para o Brasil com dois anos de idade.

O maestro Martinho Lutero e a maestrina Naomi Munakata morreram por Covid-19 – Foto: Montagem/Divulgação/ND

O outro nome é o maestro Martinho Lutero Galati, que morreu na quarta-feira (25), aos 66 anos.

Munakata estava internada desde o dia 16 de março no hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo, e três dias após seu teste para a Covid-19 deu positivo.

Leia também:

Munakata foi diretora da Escola Municipal de Música de São Paulo e do Coral Jovem do Estado. Foi também regente titular do Coro da Osesp de 1995 a 2015.

Lutero Galati foi internado em 17 de março, após ter problemas pulmonares, e depois, foi diagnosticado com a Covid-19.

O músico era diretor da Rede Cultural Luther Kinge foi diretor artístico do Coral Paulistano do Theatro Municipal de São Paulo de 2013 e 2016.

“Mapa coronavírus Santa Catarina: números de casos e mortes por cidade. Acesse!”

Mais conteúdo sobre

Variedades