Banda Escambau se apresenta em Florianópolis neste sábado

Atualizado

Escambau vem à cidade pela segunda vez – Divulgação/ND

Nem sempre a vida dá chances de ser bem-sucedido duas vezes no mesmo metiê. Se o meio for musical, qual a chance de você ter sucesso duas vezes e escrever o seu nome nas páginas musicais? A pequena saga que se segue, nos faz acreditar que seja possível.

Após anos de shows lotados e letras nonsenses dentro dos Faichecleres (PR), Giovani Caruso, vocalista da banda deixou o grupo em 2007 e refugiou-se no Paraguai. Decidido a reescrever sua história, o músico que tem na família outros artistas – seus irmãos Glauco e Emerson tocaram e gravaram com Júpiter Maçã em a “Sétima Efervescência” e Tuba Caruso, seu primo, era baterista dos Faichecleres.

Após um providencial isolamento, o músico retorna ao Brasil, cheio de ideias e letras que se transformariam em “Acontece nas Melhores Famílias” (2009), trabalho que sedimentou a ideia de um outro grupo. Algo que seria não só a extensão das ideias de Giovani, mas funcionaria como uma nova banda: Giovani Caruso e o Escambau, esse foi o nome escolhido.

Nessa “encarnação” o grupo já contava com alguns pilares que viriam a ser fundamentais os próximos trabalhos: Maria Paraguaya (vocais) e Zo Escambau (voz, guitarra e violão). Yan Lemos viria a se tornar o novo pilar, mais para frente.

O nome perdurou até o segundo trabalho “Ordem e Progresso via Pão e Circo”, lançado em 2012. Após o lançamento e com a formação da banda ainda em transição, o grupo passa a se chamar apenas Escambau.

O que era uma banda com letras trabalhadas e forte viés politico, se torna algo maior. A banda se formata para sair da seara de um estilo musical definido, o rock autoral e independente. A Escambau abraça então, todos os gêneros musicais possíveis e arrisca não apenas nos estilos, mas com ideias arrojadas e deixa de ser a banda de uma pessoa, para se tornar de todos os músicos que ali transitam.

A Escambau se torna um ser totalmente estranho até mesmo dentro da cena independente que abraça qualquer grupo que não se encontre em nenhum espaço. O grupo se torna um elemento diferente e combativo. Politicamente, o grupo foi um dos primeiros a se posicionar mesmo antes da mudança de governo.

Após 4 álbuns, nova mudança na formação em 2018 (Ivan Rodrigues o baterista deu lugar a Yuri Vasselai), o grupo resolveu arriscar (mais uma vez?) e compor um EP totalmente em espanhol que se transformou em compacto em vinil lançado recentemente, “Electrico”.

E após 10 anos do início de suas atividades o grupo prepara o lançamento de seu quinto trabalho e promete mais acidez, contundência nas letras, posicionamento político inteligente e combativo para tempos obscuros como esses. Não à toa, os videoclipes do grupo abusam da ironia, sarcasmo e virulência, sem medo algum de apontar o dedo na cara! Algo que até mesmo os grupos mais antigos estão deixando de lado para não tomar partido.

Para fugir do lugar-comum, a Escambau tocará em um local que também se posiciona como um foco de resistência cultural, o Taliesyn, localizado no Centro de Florianópolis.

Será apenas o segundo show do grupo em Florianópolis, mas que promete por ser o primeiro que poderá apresentar novas composições para celebrar a primeira década da banda.

Serviço:

O quê: Show com a banda Escambau (Discotecagem em vinil com: Dum Dum Boy e Calvin T.)

Quando:  25/5, 21h

Onde: Taliesyn, rua Victor Meirelles, esquina com Nunes Machado

Quanto: R$15 na hora

Mais conteúdo sobre

Música