Café tradicional, Senadinho será reaberto em Florianópolis

Atualizado

Bar Senadinho deve reabrir as portas no mês de fevereiro – Foto: Foto Flavio Tin/ND

O tradicional café Senadinho, local de encontros de políticos, anônimos e boêmios no Centro de Florianópolis, será reaberto. A previsão dos donos é que a obra seja finalizada até fevereiro, antes do Carnaval.

O novo espaço, afirma um dos três sócios do local, Edson Weigmann, deve homenagear frequentadores célebres.

“Queremos devolver esse local histórico a Florianópolis”, comenta Edson. O empresário atua no ramo varejista e possui uma loja de chocolates a poucos metros do bar.

“Não frequentei o Senadinho nos tempos áureos, mas eu sempre passava ali para tomar um café”, completa.

Leia também:

Além de Edson, João Petry e Darlene Pires também são sócios do café.

O Senadinho foi fechado em 1º fevereiro de 2019, porém nos últimos anos já estava bem descaracterizado, funcionando junto a uma agência financeira.

De Point Chic a Senadinho

Com o nome de Ponto Chic, o café foi fundado por Válter José da Luz. Personalidade do turismo catarinense, Válter morreu em 2014, aos 74 anos.

Passou a ser chamado de Senadinho em 1979, quando foi criada a confraria “Senatus Populusque Florianopolitanus”. Em tradução livre “Senado Popular Florianopolitano”.

O nome se refere ao funcionário público Alcides Hermógenes Ferreira. Sempre bem vestido, o frequentador assíduo do café ganhou o apelido de senador pela sua elegância.

Fundado há 40 anos, o Senadinho é lembrado por acontecimentos históricos. Foi palco do enfrentamento entre estudantes e o então presidente João Baptista Figueiredo. O general esteve no café no dia 30 de novembro de 1979.

A célebre foto do presidente Figueiredo, no Senadinho – Foto: Acervo/Divulgação/ND

O evento, iniciado no café, ficou conhecido como Novembrada. A partir daí, o Senadinho virou local de discussão sobre os acontecimentos políticos da cidade.

Senadores diplomados

Naquele período, surgiu também a distribuição dos diplomas de “Senador do Senatus Populusque Florianopolitanus”.

O título era concedido anualmente para pessoas consideradas importantes no cenário florianopolitano. Desde que foi criado já foram empossados cerca de 500 senadores.

Segundo Edson, com a reabertura do Senadinho, novos diplomas devem ser concedidos por meio da Fundação.

O novo Senadinho deve contar também com uma parede dedicada à história. O projeto prevê quadros, retratos e documentos expostos numa espécie de museu do café.

Novidades

Com a reabertura, deve ser mantido também o salão principal, com cerca de 30 mesas, e as mesas externas. Com isso, a esquina das ruas Trajano e Felipe Schmidt vai receber o vai-e-vem de frequentadores.

O cardápio não contará com a empanada do Chiquinho, fato lamentado por Edson, mas terá cafés especiais e chope. A ideia é que o café funcione das 8h da manhã até às 20h da noite.

Gastronomia