Comemorando 10 anos, banda Maglore faz show em Florianópolis

Atualizado

Teago, Felipe, Lelo e Lucas já tocaram em churrascaria e enfrentaram os desgastes físicos de uma turnê pelo Nordeste. A banda baiana, que completa 10 anos em 2019, se apresenta em Florianópolis neste domingo (26), às 19h.

Banda Maglore comemora 10 anos de carreira – Azevedo Lobo/Divulgação/ND

Com o passar dos anos, o estilo dos integrantes também mudou. As camisetas de botão de neutras deram lugar a explosão de cores e formas presentes também do último álbum da banda.

Seu trabalho mais recente, o álbum “Todas as bandeiras”, fala de amor, divórcio e restabelecimento emocional. Lançado em 2017, o disco é o quarto trabalho de estúdio da banda.

Por e-mail, o guitarrista da Maglore, Lelo Brandão respondeu a perguntas do ND. Confira:

Li num site que vocês sempre inventam uma história nova para explicar o nome da banda. Vocês ainda lembram o motivo do nome?

Na verdade o nome veio de um sonho de Teago, nosso querido vocalista, a gente achou sonoro e acabou ficando. Essa é a história verdadeira. Vocês nunca saberão se é mentira ou não (risos).

Qual foi a maior loucura que vocês já enfrentaram juntos? Alguma história de bastidor que marcou muito os 10 anos de Maglore.

Nossa primeira turnê pelo nordeste. A primeira turnê da banda. Passamos 10 dias na estrada, de Vitória da Conquista/BA até Natal/RN foram 9 shows. Teve gente desmaiando na van de cansaço e tudo. Nessa mesma turnê, acabamos tocando numa churrascaria no interior da Paraíba. O dono nem sequer conhecia a banda e pra não deixar os clientes sem música acabou dando algumas garrafas de uísque para que a gente continuasse a tocar, mesmo sem repertório. Teve até “What’s Going On”, do 4 Non Blondes. (Risos)

Se vocês pudessem mudar alguma coisa nesses 10 anos de carreira, o que seria?

Não mudaríamos nada não. A gente sempre gostou de lidar com os fatos. Tudo é importante pra gente crescer enquanto pessoas e enquanto banda. Só se cresce nas dificuldades. A gente vai aprendendo com o tempo.

O lançamento dos discos influenciava na estética pessoal de vocês? O estilo de roupas e as linguagens mudaram com de um álbum para o outro?

Tudo acontece meio que em conjunto. No início do processo temos muitas peças, vamos entendendo quais a gente encaixa, onde encaixá-las, as que ficam de fora… e isso serve pra tudo mesmo no trabalho de criação: as músicas, os caminhos estéticos dos discos, as artes, os shows, luz, figurino, etc.

Qual a música da Maglore favorita de cada membro da banda?

Teago – Me Deixa Legal

Felipe – Sobre Tudo Que Diz Adeus

Lelo – Quando Chove No Varal

Lucas – Avenida Sete

Como vocês esperam ser lembrados daqui 10 anos?

Como uma banda que conseguiu existir durante 20 anos (risos).

Qual a expectativa para o show em Florianópolis? O quê os fãs podem esperar para a apresentação deste domingo?

A gente adora a cidade. O público é sempre bem receptivo, cantam junto. Podem esperar um show pensado com carinho, contemplando os nossos quatro discos.

Serviço:

O quê: Show da banda Maglore

Quando: 26/5, 19h

Onde: Balaio de Gato, Av. das Rendeiras, 1176, Lagoa da Conceição, Florianópolis

Quanto: a partir de R$ 15

Música