Demétrio Panarotto lança livro artesanal em parceria com os filhos, em Jaraguá do Sul

Divulgação

Capas são pintadas manualmente por Antônia

Foi o encantamento da filha Antônia, de cinco anos, pela própria inicial do nome que fez o músico, professor universitário e doutor em teoria literária, Demétrio Panorotto dar início a mais um livro artesanal, o “A de Antônia”. A obra será lançada neste sábado, na 10ª Feira do Livro de Jaraguá do Sul, às 11h30. 

A menina começou a reconhecer a letra do nome aos três anos. Aonde iam, – ela, o irmão Lorenzo, 8, e o pai -, Antônia apontava para posters e placas e via que sua letra era muito usada. O reconhecimento dela na alfabetização virou uma brincadeira de pai e filhos, que se veem a cada 15 dias depois da separação do casal. “Ela passou a reconhecer nas coisas dela, como nas cores, passou a dizer que as preferidas eram amarelo e azul, mas também não conseguia fugir do rosa e do roxo. Passou também a adorar sucos com a letra A, como abacaxi e acerola, que ela não tomava”, lembra Demétrio. 

Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

Antônia começou a reconhecer a letra A aos três anos

A brincadeira começou a fazer parte da vida deles, e Demétrio, com a ajuda de Lorenzo, iniciou algumas anotações dessas brincadeiras com a letra A, como quando foram a um zoológico.  Antônia queria saber todos os animais que começavam com a letra A. Na casa de Demétrio, as crianças tem total liberdade quando o assunto é arte. Pelas paredes, ele cola suas obras feitas com lápis de cor, e os incentiva a ler, mas nada forçado. Eles têm a própria “biblioteca”, e quando querem, escolhem o que ler no dia. 

O pai uniu a curiosidade e criatividade da filha com o seu trabalho, mais o talento de Gabi Bresola, da Miríade Edição, para fazer a diagramação da publicação, e criou o “A de Antônia”.

“A montagem da história do livro se dá por ela estar reconhecendo as letras e trazendo coisas que talvez nem eu me desse conta com a correria do dia a dia. Essa percepção da criança em relação ao mundo, um mundo que não está normatizado”, afirma Demétrio. 

Primeiramente, o livro era apenas o protagonista da festa de aniversário da menina em fevereiro desse ano, onde as crianças ganhavam o livreto de miolo cor de rosa, amarelo e azul, como lembrança. Com ele, elas podiam usar a imaginação e pintar os desenhos de Antônia como quisessem. A partir da interação das crianças na festa, Demétrio notou que poderia ir além com a publicação. Mostrou a obra para uma professora da Faed/Udesc, e fez a primeira oficina sobre o trabalho, além de um lançamento em Chapecó. “O texto flui muito bem, não é para crianças de 3 a 4 anos porque tem muito texto e não é infantilizado. Acredito que é ideal para crianças de 7 a 8 anos”, diz. 

A menina continua como a ilustradora de suas obras, mas nada forçado. Ela pinta manualmente todas as capas quando tem vontade. “Deixo livre para um processo natural, de vez enquanto ela diz ‘pai, posso pintar mais?’, e ai ela continua a produção”, explica. 

Debora Klempous/Arquivo/ND

Demétrio viu que a publicação podia ir além


Alimentar o convívio

A feira em Jaraguá inicia amanhã, e Demétrio fará uma oficina para bibliotecários nesta sexta-feira, das 7h30 às 11h30, e no sábado às 9h30 acontece a oficina “Brincando de fazer Livros”, onde o autor terá ajuda de seus filhos, Antônia e Lorenzo, dirigido a toda a comunidade. “Coincidiu que será no final de semana do Dia dos Pais, e o Lorenzo está achando o máximo em ir trabalhar comigo. Tudo aquilo que os pais possam fazer para alimentar esse convívio com os filhos marca a vida deles, mas um convívio que você senta e escuta eles, assim, eles também passam a te escutar melhor”, acredita Demétrio.

Em breve o livro também ganhará uma versão bilíngue em espanhol, pelo colombiano Byron Oswaldo Vélez Escallón. “Ele soube brincar com as palavras com A que só tem no Brasil, e para finalizar, como o nome dele não tem A, ele assina dizendo que é aquariano, como Antônia”, acrescenta o pai.

A Feira do Livro de Jaraguá do Sul terá oficinas, contações de histórias, espetáculos musicais, debates, guias de leitura, lançamentos e venda de livros. Entre os autores estrelados desta edição estão Milton Hatoum, Fernando Bonassi e Paula Pimenta.

Serviço 

O quê: 10ª Feira do Livro de Jaraguá do Sul
Quando: de 11 a 21/8, de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h; sábado, das 9h às 19h; domingo, das 10h às 18h
Quanto: gratuito

Literatura