Em curta turnê, cantora de ópera Carla Maffioletti passa por Florianópolis

Camerata OntoArte/Divulgação/ND

Soprano coloratura, Carla Maffioletti já se apresentou com o violinista holandês Andre Rieu.

Depois de compartilhar palcos internacionais em diversos países e se apresentar com grandes nomes da música clássica, como o violinista holandês André Rieu na Orquestra Johann Strauss, a cantora de ópera e música clássica Carla Maffioletti retorna ao seu país para uma turnê. Desta vez com a Camerata OntoArte Recanto Maestro, do Rio Grande do Sul. A gaúcha, que também compartilha nacionalidade italiana, utiliza técnicas vocais para atingir os tons considerados mais agudos e provocar sensações em seu público, resultado de um tom de voz característico denominado soprano coloratura. A apresentação de Florianópolis, no Teatro Pedro Ivo, será nesta quarta-feira, 31/8, às 21h.

“É muito importante entender o que se está cantando, compreender a música por completo e conversar com colegas músicos, além de se comunicar com o público”, afirma Carla. Para ela, os cantores são mensageiros, que precisam transmitir e apresentar ao público o universo singular de cada música. O resultado, porém, é um conjunto de emoção e palavras, que é somado à vivacidade do artista e à história que a música invoca. “Com a minha música, faço as pessoas chegarem ao mesmo ponto de alegria e satisfação de uma maneira bem pura”. A cantora ainda explica que o público não é o único a ser tocado pela performance – ela também é impactada durante o show. “Se eu não me emocionasse não poderia transmitir a mensagem. A minha matéria-prima é a minha própria emoção”, completa.

A tarefa, no entanto, pode ser bastante diferente quando a apresentação passa de um público pequeno para cerca de 35 mil pessoas, como foi o caso de um show com André Rieu, na Austrália, em 2013. “Quando é um público pequeno, é possível estabelecer um contato direto com a plateia e o show se torna algo pessoal. Para um público grande, é preciso transmitir as emoções através das câmeras”. Apesar das variações, Carla acredita que a intensidade e a adrenalina da performance do artista se mantém a mesma.

Direto da Holanda, a cantora retorna ao Brasil anualmente para concertos isolados durante as férias das apresentações internacionais – a última visita profissional ao país, no entanto, foi em 2014. Desta vez, Carla retoma a parceria com a Camerata OntoArte Recanto Maestro, iniciada há quatro anos. “Somos um grupo muito unido, muito afinado, e estamos em plena sintonia”, revela. A apresentação conta com um repertório inédito composto por poemas de Safo e Antonio Meneghetti musicados por Vagner Cunha. “É uma grande oportunidade poder cantar composições atuais e apresentar músicas lindas e intensas com seu compositor presente”, garante. A turnê, iniciada em Porto Alegre no último dia 23, já passou por São Paulo e chega nesta segunda-feira a Curitiba. No último show, em 3 de setembro, em Recanto Maestro (RS), gravarão um CD.

Canto e extroversão

A música se provou um elemento fundamental na vida de Carla desde pequena. A influência da mãe, professora de música, somada ao contato precoce com instrumentos, resultou em um carinho pela arte. Apesar de ter feito aulas de violino e flauta doce, foi o violão clássico que a conquistou primeiramente, aos 6 anos. “O canto é a minha carreira, é o que me permite viver mais intensamente, mas sempre tenho o violão comigo”, afirma. “O canto realça a minha parte extrovertida, enquanto o violão representa a introvertida.”

Aos 15 anos já estava se apresentando pela América do Sul com a Camerata Consort. Com o objetivo de estudar violão clássico, Carla entrou na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Nas aulas de canto na faculdade, aos 17 anos, descobriu que seu tipo de voz era soprano coloratura. “Aprendi que esse tipo de voz permite atingir notas mais agudas e passagens bem virtuosas, com vários efeitos sonoros”, explica. Os estudos sobre canto se intensificaram e a voz passou a se tornar seu principal instrumento. Nos últimos 14 anos, vem participando de turnês de orquestras e óperas em vários países como África do Sul, Alemanha, Austrália, Coreia do Sul, Estados Unidos, Inglaterra e Japão. “Foi tudo muito rápido. Logo me vi apaixonada pela ópera e pelo canto”, conta.

• O quê: Show Camerata OntoArte Recanto Maestro com Carla Maffiolletti – Turnê Brasil 2016
• Quando: 31/8, 21h
• Onde: Teatro Pedro Ivo, rod. SC – 401, Km 5, 4.600, Saco Grande, Florianópolis, tel.3665-1630
• Quanto: R$ 30 / R$ 15 (meia)

Música