Gerson King Combo se apresenta em festa de black music na Lagoa da Conceição

Gerson King Combo não para de comemorar seu aniversário. A data oficial foi riscada do calendário e em seu lugar o rei do soul colocou um ano todo de celebração. A festa acontece com shows em todo o Brasil. Só em Florianópolis, ele faz hoje a segunda apresentação da turnê dos 70 anos, completados em 30 de novembro de 2013. E anuncia que pretende voltar entre setembro e outubro para o lançamento do DVD.

Rosane Lima/ND

Gerson traz novidades no repertório do novo disco

Nascido e criado em Madureira, subúrbio do Rio de Janeiro onde mora até hoje, Gerson Cortes mantém-se fiel às raízes de sua terra e à sua música. Na fila dos veteranos da música brasileira, também conserva a vaidade e orgulha-se de ter 70 e “corpinho de 50” e de jamais ter abandonado o estilo que o consagrou. Ao chegar à Ilha, a capa estava na mala, mas o casaco de couro, os óculos escuros, os cordões e correntes de ouro ornamentavam o cantor que trouxe na bagagem capítulos importantes de um gênero que continua relevante, em boa parte, por conta da atenção dedicada a ele em cinco décadas de trabalho.

Mais que uma lenda, ele é a memória viva da soul music nacional e internacional. Começou a carreira fazendo dublagens e coreografando programas de auditórios, como o de Chacrinha. Cantou nas bandas de Erlon Chaves e Wilson Simonal e ajudou a fundar a banda Black Rio. Em território internacional, acompanhou shows de astros da black music, que renasceu como Gerson King Combo (em homenagem à banda de soul jazz King Curtis Combo).

Conta que o gosto musical apurado foi influência do irmão Getúlio Cortes, autor músicas como “Negro Gato”, sucesso na voz de Roberto Carlos, e das negativas do pai para o samba. “Meu pai era militar e nos proibia de dançar ou cantar samba, mas minha irmã adorava sambar. Contudo, naquela época samba era uma coisa marginal, de vagabundo mesmo”, lembra.

Se na carreira musical ele não desenvolveu afinidade com o ritmo brasileiro, na convivência, não fugiu às raízes. “O pessoal do samba me adora, sou o sócio número mil da Império Serrano e já fui destaque em três escolas de samba. Sou um personagem de Madureira e vou sempre vestido de mim mesmo”, observa. “Acontece que no Brasil eu sou referenciado pela soul music e é esse meu lance. Nunca pulei a cerca para outro ritmo porque tem muita gente que acompanha meu trabalho, compra meus discos e vai aos meus shows por causa disso”, reitera.

A maturidade também o faz dispensar rótulos. O “James Brow Brasileiro”, como há décadas é conhecido no país, prefere ser chamado apenas de Gerson. “Não gosto de comparação”.  King Combo conheceu o astro em um festival em Nova Iorque, quando ele ainda era desconhecido e acabou subindo ao palco para mostrar um pouco da ginga brasileira. “Eu sempre fiz figurino próprio, minha mulher era costureira, então sempre andei alinhado. Vi aqueles pezinhos batendo no chão e pensei, isso é moleza. Aí emendei um samba, com um passos de twist, e o Fred Wesley  me agarrou pelo braço e me fez subir no palco. Eu não falava inglês, só ‘embromation’, mas me comuniquei com ele. Depois acompanhei sua turnê em São Paulo e Rio. Mas cada um tem seu estilo”, descreve.

Inspiração no cinema

Na Capital, Gerson King Combo participa da festa Blaxploitation. Uma noite inspirada no movimento cinematográfico norte-americano que surgiu no início da década de 1970, protagonizado e realizado por atores e diretores negros onde as trilhas sonoras também eram compostas por músicos negros, como Curtis Mayfield, Isaac Hayes, James Brown, Quincy Jones, Barry White, Marvin Gaye e Willie Hutch.

No palco, ele será acompanhado pela Sociedade Soul, banda manezinha com quem Gerson consolida a parceria musical. A noite ainda terá um Tributo a Parliament-Funkadelic, uma das bandas pioneiras na mistura de funk, soul e rock.

Serviço
O quê: Gerson King Combo, Sociedade Soul, Flashlight (tributo Parliament/Funkadelic)
Quando:  25/7, 22h
Onde: Green Park, av. Prefeito Acácio Garibaldi São Tiago, 1303, Lagoa da Conceição, Florianópolis
Quanto: R$ 20 (antecipado), R$ 25 (na entrada), R$ 30 (após a meia-noite)

Entretenimento