Jovens vozes catarinenses: cantoras conquistam o público com canções de rap e MPB

Cantoras se destacam no cenário musical catarinenses Bruna Góes (dir.), Joana Castanheira (centro) e Flora Cruz (esq,) – Divulgação

Do rap a MPB. As cantoras catarinenses Bruna Góes, Joana Castanheira e Flora Cruz vêm conquistando espaço no cenário musical do Estado. Em seus repertórios, uma mistura de clássicos com suas próprias composições.

Bruna Góes é lembrada por interpretar canções da inglesa Amy Winehouse. Em 2016, a cantora apresentou a turnê “Back to Amy” em diversas cidades brasileiras.

Leia também

“Conheci Amy com apenas 12 anos, antes de cabelão e tudo o que hoje associamos a sua imagem. Era outra época e eu nem sonhava em ser cantora. Acompanhei todo o amadurecimento musical e artístico dela, sempre com muita admiração”, conta Bruna.

Admiradora do visual marcante de Amy, Góes adotou o cabelão e o delineador preto nos olhos para as apresentações musicais.

Além da cantora inglesa, Bruna tem como referência cantores consagrados como Djavan, Tim Maia, Marisa Monte, além de artistas em ascendência como americana H.E.R.

Na infância criou uma relação com a música influenciada pela mãe Gláucia e pelo avô Floriano Rosalino, violonista erudito e intérprete de Villa Lobos. “A música me escolheu e eu aceitei a proposta”.

Mesmo morando em São Paulo Bruna mantém uma agenda de shows em Florianópolis, sua cidade natal. “Amo a cultura e a energia da nossa Ilha. Eu sou completamente apaixonada por Florianópolis e é um deleite poder cantar pra pessoas que compartilham do mesmo sentimento”, conta.

Joana Castanheira lança CD autoral

O visual de Joana Castanheira chama atenção. O cabelo curto acompanhado por uma franja lateral é sua marca. A cantora natural de Florianópolis ficou famosa na internet por interpretar músicas de sucesso criando novos arranjos.

Foi assim com “Bang” de Anitta; “Me namora”, da banda Natiruts; “Gostava Tanto de Você”, de Tim Maia; e até sucessos internacionais como “Hello”, de Adele e “Cool for the summer”, da americana Demi Lovato.

Com o avanço na carreira, Joana passou a gravar canções próprias lançado em 2018 o single “Travo”. A música ganhou videoclipe com a direção de Felipe Bond.

Em abril deste ano Joana lançou o EP “Para”. Com seis músicas autorais, o CD foi lançado também em formato físico, com a distribuição de cópias acompanhadas por um manuscrito assinado pela cantora.

A entrega dos CDs foi feita pessoalmente pela cantora em Santa Catarina e São Paulo e os registros podem ser visto no clipe da música “Para Ana”.

“Foi uma das experiências mais legais que eu já vivi. Ver de perto as pessoas que admiram o seu trabalho”, diz Joana.

Para ficar de olho

“Quando a nossa música tocar, tu ainda vai lembrar do ritmo?”. O trecho faz parte da canção “A música mais triste do ano”, que na voz de Flora Cruz já reúne mais de 8 mil visualizações no Youtube.

Com um repertório que mistura R&B americano, MPB e rap, Flora vem fazendo sucesso em apresentações por Florianópolis com seu timbre suave.

A cantora faz parte do movimento “Catedetral Gallery”, que une por meio da expressão musical jovens músicos, artistas visuais, modelos e beatmakers.

Música