Moradora de Florianópolis, influenciadora quer combater preconceito contra o islamismo

Atualizado

O hijab, véu que cobre a cabeça, chama atenção quando se olha para Mariam Chami pela primeira vez. Muçulmana, a moradora de Florianópolis começou a produzir conteúdo para as redes sociais há oito anos. Atualmente com mais de nove mil seguidores, Mariam quer ajudar a combater o preconceito em relação a sua religião.

Mariam Chami responde dúvidas sobre a religião islâmica – Reprodução/Instagram

A temática de suas postagens quase sempre gira em torno de assuntos ligados ao Islamismo. Seu primeiro vídeo no Youtube, por exemplo, explicava sobre o ramadan, período de aproximadamente um mês dedicado a devoção a Alá. Neste momento, os fiéis fazem jejum durante a maior parte do dia e se dedicam a orações.

Falando para seus seguidores, Mariam Chami tenta desmistificar a visão das pessoas sobre o Islamismo. “Eu quero mostrar que ser muçulmana não é ser uma alienígena como muita gente pensa”, comenta.

Leia também

A primeira experiência nas redes foi através de um blog que mantinha com a irmã e algumas amigas. Nele, elas dividiam suas experiências sobre moda, maquiagem, rotina e também sobre religião.

Mariam teve ainda outras experiências com as redes, sendo a principal com o “Muslim Girls Brazil”, grupo no Facebook dedicado a compartilhar ensinamentos a mulheres muçulmanas.

Com o tempo, pessoas de outras religiões passaram a entrar na página enviando suas próprias perguntas. “Meu objetivo nunca foi converter pessoas e sim mostrar qual é o verdadeiro Islam”, fala.

No Instagram, Mariam passou a publicar seu cotidiano de forma despretensiosa. “Fui falando sobre religião no meu Instagram e as pessoas foram cada vez mais se interessando e perguntando mais e mais”, comenta.

Entre as dúvidas mais frequentes de seus seguidores estão perguntas sobre seus hábitos cotidianos usando o hijab. A vestimenta, que cobre o cabelo das mulheres, é usada em locais públicos.

Os questionamentos mais comuns giravam em torno da prática de exercícios, idas à praia e até ao banho com o traje. O14s seguidores também têm curiosidades em relação a namoro e casamentos dentro da religião islâmica.

Natural de São Paulo, Mariam se mudou para Florianópolis em 2016 após se casar. Fotos do casamento e vídeos da rotina do casal são comuns na sua rede social.

Influenciadora mostra força feminina dentro da religião muçulmana

O objetivo de Mariam Chami com as postagens é conscientizar sobre diversas pautas presentes no Islamismo, principalmente as relacionadas a questão da mulher dentro da religião.

“As pessoas não precisam ficar preocupadas ou se sentir triste por a gente usar hijab. Isso é a nossa voz, a nossa representatividade. Eu vejo isso como a minha liberdade”, afirma Mariam.

Alvo de críticas do mundo ocidental, o islamismo é tido como machista e muitos de seus preceitos são criticados e até mesmo colocados na ilegalidade.

Na França, uma lei criada em 2010 proibia o uso de vestimentas que escondem o rosto, com multas previstas para quem infringir-se a regra. O texto é considerado uma violação aos direitos humanos pela ONU (Organização das Nações Unidas).

“Além de ser uma religião, o Islã é um estilo de vida, um comportamento. Não só em questão espiritual, mas em todos os âmbitos”, diz Mariam.

Mais conteúdo sobre

Internet