‘Ninguém comentaria minha idade se eu fosse homem’, declara Madonna

“Bela, recatada e do lar”? Não, com certeza. Madonna está concedendo uma série de entrevistas para divulgar seu novo trabalho, o 14º álbum da carreira na música pop. A cantora falou sobre o preconceito que sofre em relação à idade e por ser mulher durante uma entrevista ao programa Fantástico, da TV Globo, neste domingo (16).

“Ninguém comentaria a minha idade se eu fosse homem. Mas, para as mulheres, existe um comportamento esperado. E se você ainda tiver apetite sexual, se ainda se divertir e se sentir viva, você vai ser desprezada, discriminada e perseguida”, declarou.

Madonna, hoje com 60 anos, já acumula quase quatro décadas de contribuições para a música e o cinema – Reprodução/Instagram

Leia também

De acordo com a reportagem, uma das principais rádios do Reino Unido não adicionou as músicas novas da Madonna à playlist. O espaço ficou para cantoras mais jovens. O chefe da BBC teria dito que eles precisam reduzir a média de idade do ouvinte.

Em maio, a cantora já havia falado sobre o peso da idade. “Estou sendo punida por ter 60 anos”, declarou em entrevista à revista Vogue. “As pessoas sempre tentaram me silenciar por uma razão ou outra, seja porque não sou bonita o suficiente, não canto tão bem, não sou tão talentosa, não sou casada o suficiente, e agora é que não sou jovem o suficiente. Então, eles continuam tentando encontrar um gancho. Agora eu estou lutando contra o preconceito da idade, estou sendo punida por ter completado 60 anos”, revelou.

Madame X

Imagem de divulgação do seu última álbum, Madame X, lançado nesta sexta-feira (14) – Divulgação ND

Madonna lançou seu 14º álbum de estúdio, Madame X, na última sexta-feira (14). O trabalho foi produzido durante residência da cantora em Portugal.

Ela colabora com nomes que vão de Quavo e Diplo ao tempero latino de Maluma e Anitta. Dentre os temas de Madame X, uma veia política tão pulsante quanto a apresentada em American Life (2003), indo do controle de armas nos EUA aos conflitos no Oriente Médio.

A parceria com a brasileira Anitta em Faz Gostoso, uma das raras ocasiões em que Madonna topa dividir os vocais com outra artista feminina, ganhou destaque da crítica internacional e já fez barulho por aqui, sendo o assunto mais comentado das redes sociais na madrugada da última sexta (14).

O funk é um dos três momentos do disco, além de Killers Who Are Partying e Crazy, em que ela se aventura pela língua portuguesa, traço dos últimos dois anos vividos em Lisboa.

Variedades