“Olá! Tudo bem?”: bordão de Paulo Henrique Amorim nasceu nos EUA

Quando pensamos em Paulo Henrique Amorim dificilmente não lembramos do bordão eternizado por ele: “Olá! Tudo bem?”. A frase, no tom peculiar criado por ele, nasceu quase que sem querer.

Paulo Henrique trabalhou como freelancer na rede CNN nos anos 70 – Record TV/Divulgação/ND

Paulo Henrique contava que era correspondente em Nova York quando foi convidado para fazer algumas reportagens como freelancer, nos anos 1970, na rede CNN.

Logo ao chegar no canal norte-americano, a editora-chefe disse para ele que seria bom se pudesse saudar o público em sua própria língua, para criar uma identidade de correspondente do Brasil. Paulo Henrique resolveu então dizer a frase que é tão comum entre os brasileiros, quando vão se cumprimentar.

Leia também:

Tempos depois, em Los Angeles, durante a cobertura de um terremoto, o âncora reencontrou um colega norte-americano que se lembrou dele e logo repetiu a saudação em português, com a mesma entonação diferenciada.

Ele achou divertido o tom usado pelo estrangeiro e logo sacou que aquilo tinha ficado guardado na cabeça das pessoas.

Foi aí que Paulo pensou que aquele poderia ser o seu bordão e a partir dali começou a repetir o “Olá! Tudo bem?” sempre que aparecia na TV. Não demorou muito para essa se tornar a sua marca registrada.

Mais conteúdo sobre

TV