Produção das mulheres é destaque no polo SC da Bienal de Arte Contemporânea de Curitiba

Atualizado

O polo catarinense da 14ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba intensifica a programação a partir da próxima semana, com o evento “Mulher Artista Resiste”. Exceto a abertura no sábado (3), com Liniker e os Caramelows no teatro do Centro Integrado de Cultura, a agenda é toda concentrada no Espaço Cultural Armazém – Coletivo Elza, em Sambaqui, a partir do domingo (4) e reúne exposições, shows, performances e conversas. “É uma proposta de reunir pela primeira vez a produção de mulheres artistas”, explica Francine Goudel, uma das curadoras do braço de Santa Catarina com Juliana Crispe e Sandra Makowiecky.

Uma das fotos do ensaio fotográfico “Ilhas de Força”, da artista Luciana Petrelli, feita com as integrantes da banda Mulamba – Luciana Petrelli/Divulgação/ND

O título “Mulher Artista Resiste” alinha diretamente com o tema da bienal de 2019, “Fronteiras em Aberto”, que trata das possibilidades de abrir fronteiras “geográficas, políticas, artísticas, de gênero, como é este eixo que trabalhamos nesse evento”, diz Francine. Por isso, continua a curadora, a escolha do local, o Espaço Cultural Armazém – Coletivo Elza, que é um espaço independente, autogerido e financiado coletivamente por um grupo de mulheres, entre elas, artistas visuais, gestoras, educadoras, doulas, psicólogas, advogadas, engajadas em dar visibilidade a produções artísticas femininas.

A abertura do evento no dia 4 contará com a apresentação e performance musical da banda curitibana Mulamba, com abertura da banda La Leuca e DJ Lê Bafão, ambas de Florianópolis. Após as apresentações, às 17h, a casa abre gratuitamente e mostra a performance “Grassa Crua”, da artista paranaense Fernanda Magalhães, e a abertura da exposição “Ilhas de força”, da artista Luciana Petrelli, justamente um ensaio feito pela artista e fotógrafa sobre a banda Mulamba. A programação “Mulher Artista Resiste” ainda se estende por todo o mês de agosto, sempre aos finais de semana no coletivo.

A Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba ocorre de 21 de setembro a 23 de fevereiro de 2020, porém, sua proposta de expandir para outros Estados, amplia a agenda do evento e a participação de artistas de vários lugares do país. O Polo Santa Catarina abriu o progama no sábado passado, dia 20, com a abertura da exposição  “Ninguém consegue segurar o ar”, da artista Fran Favero, que abriu no Masc (Museu de Arte de Santa Catarina).

Performance “Grassa Crua”, de Fernanda Magalhães – Renata Cabrera/Divulgação/ND

Confira a programação do evento:  

MULHER ARTISTA RESISTE (3 a 31 de agosto)

*Evento com algumas atrações pagas

 3 de agosto

Ingressos: www.sympla.com.br

Centro Integrado de Cultura, av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica, Florianópolis

20h30 – Liniker e os Caramelows apresentam “Goela Abaixo”

Produção: Guerrilha Produtora. Fronteiras Colaborativas

(fronteira colaborativa)

 

4 de agosto

Entrada paga das 13h30 às 15h. Entrada gratuita após às 17h.

Ingressos: www.sympla.com.br

Espaço Cultural Armazém, rod. Gilson da Costa Xavier, 1384 – Sambaqui, Florianópolis

14h30 – DJ Lê Bafão

15h – La Leuca

16h – MULAMBA

17h – Performance “Grassa Crua” de Fernanda Magalhães

18h – Abertura da Exposição “Ilhas de Força” de Luciana Petrelli

Curadoria de Juliana Crispe. (Exposição de 4 a 31 de agosto)

 

10 de agosto

(Entrada gratuita)

15h – Apresentação Literária do coletivo de mulheres Abrasabarca

18h – Cores de Aidê – Ensaio aberto

18 de agosto

(Entrada gratuita)

11h às 19h – Fatto a Femme – Feira de mulheres

11h  – Abertura da feira com DJ Carol Chiquetti

13h – Coletivo NEGA – “Projeto Musicado”

13h30 – Kia Sajo – “Olho de Tigre”

15h às 17h – Roda de conversas “Mulheres na construção de políticas públicas – desafio e perspectivas”, com Roseli Pereira (Coordenadora da Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres e Superintendente da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes), Virginia Vianna (Doula, Psicóloga e Diretora de Comunicação da Associação de Doulas de Santa Catarina – ADOSC), Marília Amaral (Pesquisadora do Núcleo de Pesquisa MARGENS/UFSC – modos de vida, família e relações de gênero; Coordenadora do Serviço de Psicologia da ONG ADEH), Ale Mujica Rodríguez (Graduade em Medicina pela UNAB, Colômbia, Doutore em Saúde Coletiva pela UFSC, trabalha questões de gênero, saúde e políticas pública) e Ligia Moreiras (Doutora em Saúde Coletiva, Doutora em Ciências, escritora e ativista)

17h – Dandara Manoela – voz e violão.

19h – Encerramento da feira

24 de agosto

(Entrada Gratuita)

15h – Apresentação da performance “Medusa Enredada: como lembrar?… Mas… como esquecer?”, de Camila Durães

17h – Apresentação da performance “Carta para Nina Simone”, de Ida Mara Freire

 

25 de agosto

Entrada com ingresso das 14h às 15h. Ingressos: www.sympla.com.br

> No dia verifique vagas pelo telefone 48 99924.7772

10h às 12h – Roda de Conversa: auto-gestão de Carreira musical, para mulheres artistas e produtoras com Gika Voigt Produz

15h às 18h – Oficina Alma na Voz e Mãos no Tambor, com Ana Paula da Silva (Cantora, compositora e pesquisadora de Cultura Popular)

18h às 21h – Jam-Feminina: música e feminismos (Aberta a mulheres cantoras, instrumentistas, compositoras, intérpretes, bandas, duos, trios, solos)

26 a 30 de agosto

(Entrada gratuita)

Residência ECO+SISTEMAS+POÉTICOS de Lilian Amaral (Doutora e Mestre em Artes pela USP e Universidade Complutense de Madrid. Artista Visual, Curadora e Pesquisadora – DIVERSITAS USP)

– 26 (segunda) 14h às 17h – Situ-ação 1: Primeiro encontro e deslocamento de campo

– 27 (terça) 9h às 12h – Situ-ação 2: Encontro e deslocamento de campo

– 27 (terça) 14h às 17h – Situ-ação 3: Encontro e deslocamento de campo |Residência em Rede: encontro virtual com coletivos de pesquisa Brasil e Espanha.

– 28 (quarta) 14h às17h – Situ-ação 4: Último encontro e deslocamento de campo | Residência em Rede: encontro virtual com coletivos de pesquisa Brasil e Espanha.

– 30 (sexta) 19h – MÚLTIPLAS – Mostra coletiva de audiovisual, curadoria Lilian Amaral

14ª Bienal Internacional de Curitiba em SC