Teatro do CIC recebe peça “Um Panorama Visto da Ponte” nesta quinta-feira

O espetáculo “Um Panorama Visto da Ponte” do dramaturgo americano Arthur Miller será apresentado no CIC (Centro Integrado de Cultura) nesta quinta-feira (14), às 21h. A montagem dirigida por Zé Henrique de Paula aborda a sociedade moderna oferecendo uma visão crítica do modo de vida das pessoas.

Um Panorama Visto da Ponte - Divulgação
O texto do dramaturgo inglês aborda imigração, solidariedade e fidelidade na sociedade moderna – Divulgação

A peça em dois atos escrita inicialmente em 1955 e reescrita em 1956. Assim como em outras peças de Miller, o texto retrata temáticas como imigração, solidariedade social, fidelidade a um código de honra, as entrelaçando com a intolerância. Na montagem atual, está o ator Rodrigo Lombardi. Às vésperas do espetáculo, Lombardi respondeu às perguntas enviadas por e-mail pela reportagem do Notícias do Dia.

A peça é um clássico do dramaturgo Arthur Miller. Você já conhecia o trabalho do inglês? Como é interpretar um personagem clássico? Sente algum tipo de pressão ou buscam criar uma coisa nova?

Eu já conhecia o texto e tinha o desejo de poder montá-lo em algum momento da minha carreira. Só não sabia quando seria e nem qual papel, porque estamos falando de três possíveis gerações. Também fazia um tempo que estava querendo produzir teatro. Produzir os meus projetos. Mas ainda não tinha chegado o momento certo. Até que um dia, “Um Panorama Visto da Ponte” caiu no meu colo como um presente. O Carlinhos e o Kiko, também produtores da peça, me apresentaram a proposta de produzirmos juntos e iniciarmos uma parceria. E então achei que tinha chegado o momento tanto de encarar o Eddie Carbone, e de também começar esse caminho desafiador que é produzir teatro no Brasil. Encontramos muitas dificuldades, especificamente em relação à patrocínio. Captamos uma parte, para levantar o espetáculo  e colocamos dinheiro para poder fazer uma temporada com mais de 50 apresentações. Graças a Deus a gente fez uma temporada incrível, com mais de 50 apresentações só em São Paulo. Agora estamos na estrada, passando por algumas capitais.

 Sobre montar um clássico, eu acho que é um privilégio. Acredito que o sonho de todo ator seja um dia poder montar um clássico. É um grande desafio!

A peça foi escrita em 1955 e reescrita em 1956. Passadas quase seis décadas de seu lançamento, existem aspectos que a torna atual?

“Um Panorama Visto da Ponte” é um clássico da dramaturgia mundial do século XX. Consegue ser atual mesmo tendo sido escrito em 1955/56. É universal mesmo se passando nas docas de Nova York. E nos bate papos que fazíamos com o público durante a temporada de São Paulo, víamos como tudo aquilo ali fala também de cada um de nós, fala de Brasil, fala do momento que estamos vivendo. E isso é ao mesmo tempo mágico e fundamental. E essa é a força que um clássico tem. De ser atemporal. De fazer sentido sempre. E Um Panorama tem a assinatura de um dos grandes do teatro: Arthur Miller.

O espetáculo já foi apresentado em vários países e cidades brasileiras. Nessa montagem, o que o público pode esperar de diferente?

O público vai encontrar um clássico, de um dos grandes do teatro, com uma direção precisa do Zé Henrique, que dialoga com o momento presente, sendo atemporal, e que se comunica com o público de uma forma muito direta e intensa. Miller dizia querer fazer um teatro de qualidade mas acessível ao público. É isso que queremos fazer. Vejo que esse texto tem muitas camadas. E conversando com o público isso ficou ainda mais claro. Realmente cada espectador traz uma bagagem de vida e de percepção. Então o mesmo texto acaba trazendo tantas leituras. É um texto que aborda o tema da imigração, da delação, da solidariedade, do sonho americano e também das paixões humanas. Então são muitas questões que provocam não só o público, mas também a todo elenco. Tivemos bons debates durante o processo dos ensaios. Espero que vocês gostem!

Serviço:

O quê: Espetáculo “Um Panorama Visto da Ponte”

Quando: 14/2, 21h

Onde: Teatro Ademir Rosa (CIC), Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600, Agronômica, Florianópolis

Quanto: a partir de R$ 100

Clube ND: tem 40% de desconto

Teatro