Virada feminina em São Paulo discute protagonismo da mulher em diversas áreas

A 3ª edição da Virada Feminina ocorre neste domingo (2) a partir das 9h, na Fiesp, em São Paulo. O olhar e a voz da mulher sobre os atuais desafios da sociedade serão apresentados para incentivar e fortalecer o protagonismo feminino.

Participam do evento, que é gratuito, escritoras, deputadas, empresárias, jornalistas, artistas, atletas, vereadoras, arquitetas, professoras, médicas, psicólogas, entre outras.

Os temas que serão discutidos: o papel da mulher em grupos de trabalho sobre educação, política, cidadania, enfrentamento à violência feminina, sustentabilidade, etnias e gênero, empreendedorismo, empregabilidade, geração de renda, inclusão social, diversidade, cultura, tecnologia, inovação, saúde, longevidade, bem-estar e esporte.

“Nos últimos anos, as mulheres quebraram paradigmas, ganharam espaço na sociedade, no mercado de trabalho, na política e estão deixando a desigualdade para trás. Mas ainda há muitos obstáculos a serem superados. O que a Fiesp espera, ao organizar este evento, é dar voz às mulheres para que encontrem caminhos para seguir avançando em busca da igualdade”, disse Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp.

A programação do evento é composta por oficinas, palestras, debates e serviços na área de saúde. “A Virada traz projetos, pautas, palestras e rodas de conversa com propostas de solução para todas as demandas do universo feminino que nós conhecemos. O evento é uma oportunidade de sairmos da discussão e partir para a ação”, pontua Marta Livia Suplicy, presidente nacional da Liga das Mulheres Eleitoras do Brasil (Libra).

No grupo de trabalho sobre enfrentamento à violência, coordenado por Gabriela Manssur, promotora de justiça do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica – Gevid, e Katia Boulos, advogada e diretora nacional da Associação de Direito da Família e das Sucessões – ADFAS, com participação da atriz e empresária Luiza Brunet, serão apresentados painéis sobre feminicídio e histórias de superação.

O evento também terá apresentações sobre a revolução feminina na educação; a construção social por meio do esporte; o papel do feminino, do medo e do amor próprio na vida profissional; empregabilidade e educação; mulheres negras na comunicação e mídia. Ainda dentro da programação, o público poderá participar de rodas de conversa sobre prevenção do câncer de mama e HPV. Para participar, é preciso fazer a inscrição prévia neste link.

Mais conteúdo sobre

Variedades