João Paulo Messer

Política, economia, bastidores e tudo que envolve o cotidiano e impacta na vida do cidadão de Criciúma e região.


Paredão do “Zé Diabo” é obra que orgulha cidade catarinense

Pelo quinto ano consecutivo, a prefeitura de Orleans, no Sul do Estado, promove uma grande limpeza para deixar mais visíveis as obras de artista que esculpia ao ar livre

A cidade de Orleans, no Sul do Estado, possui uma das mais espetaculares obras artísticas do país. Trata-se do “paredão do Zé Diabo”, artista que esculpiu em um paredão de pedra, nas margens da estrada de ferro e do rio Tubarão, passagens bíblicas em tamanho gigante.

É necessário que de tempos em tempos seja feita uma grande limpeza para deixar as imagens visíveis, livrando-as da vegetação que avança sobre ela. Este conjunto torna a obra única.

A limpeza do paredão esculpido merece sempre um ritual contemplado por muita gente. – Foto: DivulgaçãoA limpeza do paredão esculpido merece sempre um ritual contemplado por muita gente. – Foto: Divulgação

Nesta semana, pelo quinto ano consecutivo, as Esculturas do Paredão, do artista orleanense Zé Diabo, passam por mais um processo de limpeza e manutenção. Juntamente com o Museu Ao Ar Livre, a obra representa o maior patrimônio histórico-cultural do município e, também, da região.

Zé Diabo morreu em agosto de 2017 aos 87 anos de idade. – Foto: Arquivo/Lucas ColomboZé Diabo morreu em agosto de 2017 aos 87 anos de idade. – Foto: Arquivo/Lucas Colombo

Zé Diabo foi um pedreiro nascido no interior do município e batizado com o nome de José Fernandes. Morreu em 21 de agosto de 2017 aos 87 anos de idade, deixando além do “Paredão” uma série de outras obras.

A primeira foi uma pintura em uma capela na cidade de Grão Pará, no ano de 1957, onde ganhou o apelido que logo o tornou conhecido. A pintura retratava o que ele descreveu de “a luta do bem e o mal”, representada pela figura do diabo e o anjo.