104 anos de experiência! Rubinho e Ingo comemoram parceria na Stock

Pilotos dividirão o cockpit do carro 111 na abertura da temporada 2015 da Stock Car, em Goiânia, no dia 22 de março, e comemoraram a chance de for a dupla mais velha do grid

Divulgação

Não é em todo o esporte que uma dupla consegue unir 104 anos de idade. Pois bem, é isso que acontecerá na abertura da temporada 2015 da Stock Car, em Goiânia (GO), no dia 22 de março. Rubens Barrichello, de 42 anos, e Ingo Hoffmann, de 62, dividem o cockpit do carro número 111, carregando quase 60 anos de carreira nas costas.

– Essa é uma relação de longa data, desde que meu pai tinha uma loja de materias de construção em Interlagos e o Ingo tinha uma oficina ao lado. Meu pai me levava pra vê-lo treinar em Interlagos. Para mim, é uma honra dividir o meu bólido com ele. Já falei pra ele não ir tão rápido que pode ficar feio para mim (risos) – comentou Barrichello.

Rubinho, por sinal, é o atual campeão da categoria, e segue na equipe Medley/Full Time, enquanto Hoffmann não pilota um carro de Stock Car desde 2008, quando se aposentou de vez. Para ele, a chance é de mostrar que ainda pode ser competitivo, mesmo ultrapassando a marca de 60 anos.

– São 104 anos de experiência. De vida. E 13 campeonatos. De carreira, eu somo 37 anos, e ele beira os 30 e poucos anos também. Se somar tudo, também temos uma grande experiência de pista. Quando o Rubinho me convidou eu até falei: “Olha, Rubinho, eu não quero te atrapalhar, poxa, você está brigando pelo campeonato, não quero afundar teu time”. E ele falou: “Não, vamos lá, vai ser divertido, uma curtição”. É realmente uma curtição, mas caras competitivos como eu e ele, não vamos lá só para curtir. A ideia é fazer o melhor possível sempre – comentou, ao LANCE!.

Aliás, Hoffmann terá a chance de reviver uma disputa antiga nas pistas, já que seu rival de outrora, Chico Serra, também participará da corrida em duplas. No ano passado, Serra disputou a prova e não foi bem, nesse ano, correrá com seu filho Daniel. Para Ingo, essa é a oportunidade de relembrar os primórdios da maior categoria de turismo do país.

– Uma dupla que fiquei muito contente foi justamente a do Chico com o Daniel. Na hora que vi, imediatamente mandei um Whats App para o Chico e fiquei pensando: “Será que ele tem Whats App?”. (risos) Ele me respondeu na hora, fiquei muito feliz. Vamos reviver aquela disputa que tínhamos nos anos 1990, 2000. Não interessava se eu tava em 14º ou 15º, se eu estivesse na frente do Chico, está tudo bem. Vai ser mais ou menos assim hoje – completou.

+

Esportes