A um passo da sua primeira final nacional, Brusque pode ficar “sem casa” em 2020

Atualizado

O Brusque corre risco de não ter onde jogar na próxima temporada. Ao passo que tem a chance de disputar uma final em âmbito nacional, o quadricolor vive um impasse envolvendo o estádio Augusto Bauer que requer consideráveis melhorias para a disputa da Copa SC, nesse semestre e para o campeonato Catarinense de 2020.

Leia mais

O Brusque está a uma vitória por mais de 2 a 0 de disputar a primeira final nacional da sua história. Encara o Ituano, neste domingo (4), pelas semifinais do campeonato brasileiro da Série D, a partir das 16h. Como foi derrotado em São Paulo, precisa fazer três gols ou mais se quiser uma vaga direta na final da competição.

Gramado do estádio Augusto Bauer, em Brusque, recebe os últimos retoques antes da decisão com o Ituano – Diogo de Souza/ND

Paralelo a todo esse êxtase que acomete a cidade – e a região do Vale do Itajaí – o clube vive um drama. O estádio Augusto Bauer, de propriedade do Clube Atlético Carlos Renaux, carinhosamente chamado de Vovô Catarinense, precisa de reformas impostas pela FCF (Federação Catarinense de Futebol) na iluminação e no gramado, entre outras coisas.

O Augusto Bauer tem uma capacidade máxima de 5 mil pessoas sendo que apenas a metade desse número consegue assistir o jogo sentado.

“Estamos conversando com o proprietário do estádio para essas melhorias, mas o Carlos Renaux não quer bancar esse custo. O Brusque também não tem condições de bancar. Estamos buscando soluções com o Luciano [Hang]. Teremos uma reunião essa semana pra buscar um plano B, C ou D”, admitiu o presidente do Bruscão, Danilo Renzini.

Da última vez que o clube não pode contar com o estádio Augusto Bauer, que foi na Copa da Federação do ano passado, o time mandou seus jogos no município de São João Batista.

Arena Havan confirmada

O empresário Luciano Hang já confirmou que vai custear a construção de uma arena para o Brusque com capacidade para 15 mil pessoas. O novo estádio já tem um local pronto e liberado pelo município onde, apenas o ok do dono da rede de lojas Havan, basta para dar início.

Futebol