Antônio Carlos relata pedido de Paulo Turra e exalta Deyverson: ‘Ele ajuda’

Antônio Carlos durante entrevista coletiva, nesta terça-feira (Foto: Thiago Ferri)
Antônio Carlos durante entrevista coletiva, nesta terça-feira (Foto: Thiago Ferri)

Luiz Felipe Scolari ainda não chegou ao Palmeiras, mas sua comissão técnica já passou aos atletas o que quer. Paulo Turra, auxiliar de Felipão e quem treinará o time nesta quinta-feira, contra o Bahia, pediu uma nova postura, ao mesmo tempo em que muda a equipe. Deyverson, novidade do treino desta terça e contestado pela torcida, recebeu elogios de Antônio Carlos.

– O que ele (Turra) passou é que temos de acreditar mais na gente, precisamos estar mais fortes e mais fechados a cada dia. Temos de procurar evolução. Precisamos disso, de evolução a cada jogo. O que ele implantou no treino é onde a gente perdeu a bola já tem de pressionar. É acreditar mais na gente, querer mais em campo, não descansar no jogo, sempre firme a todo momento e marcar em cima. Foi o que ficou, de acreditar mais na gente, porque podemos muito mais – explicou o zagueiro.

– A gente sabe que cada filosofia de comissão é diferente, teve a cobrança entre nós. Quando há troca de treinador somos nós os culpados em campo, então a gente chegou no vestiário, se cobrou bastante. Temos muito mais a dar em campo e vamos buscar esta evolução para acabar o ano sorrindo – acrescentou.

Desde que Borja se apresentou à seleção colombiana, Roger passou a usar um ataque mais móvel, com Willian tendo liberdade para jogar na área e abrindo espaços pelos lados. No treino desta manhã, Turra mudou a equipe e colocou Deyverson como referência. Antônio gostou da escolha.

– Temos de exaltar os últimos jogos do Deyverson, ele tem nos ajudado. Eu não vi ele perder uma bola nos últimos jogos de cabeça, brigou, lutou. Ele ajuda, sim. No aperto, ter um centroavante para a gente é bom, porque ele chama a falta, e isto pode dar um fôlego atrás. Jogar com centroavante é muito bom, sim, e acho que vai encaixar bem. Vamos ver o que o professor Felipão vai falar, ele gosta de jogar assim, e eu particularmente também gosto de um centroavante na frente – justificou o defensor.

Mais conteúdo sobre

Esporte