Conteúdo por Gazeta Esportiva

Após três quedas em semis, Bronze mira evolução na Inglaterra para Tóquio

A Inglaterra vai encarar uma disputa por bronze pela terceira vez seguida, já que em 2015, no Canadá pelo Mundial e em 2017, pela Eurocopa na Holanda, o time inglês também parou nas semis. O país vem em uma grande crescente de investimento na modalidade e as boas campanhas têm batido na trave, mas o time que foi eliminado pelos Estados Unidos nesta Copa sabe que o desempenho é louvável.

Estrela do time, Lucy Bronze é uma das melhores jogadoras do mundo e, mesmo com frustração, entende que a equipe vem evoluindo. “Viemos aqui para vencer esta Copa do Mundo, mas ficamos aquém. Queríamos chegar à final porque ainda não conseguimos chegar lá, mas o fato de estarmos sempre alcançando as semifinais mostrou o quanto essa equipe é imensa e os pontos fortes dessa equipe”, disse.

A lateral já mira um final diferente pelas Olimpíadas, onde o time joga com uma formação diferente, já que representam a Grã-Bretanha e não apenas a Inglaterra. “Agora temos um torneio como Time britânico no próximo ano [nos Jogos] e depois temos a Eurocopa em casa. Há muito pela frente e podemos realmente avançar e sei que esse time vai ganhar um troféu em algum momento”, comentou a jogadora.

Com um grande peso no time de Phil Neville, a defensora não ficou feliz com sua atuação diante dos Estados Unidos.”Fiquei desapontada comigo mesmo, desapontada com o primeiro gol. Isso não é algo que eu estou acostumada; Eu estou acostumada em ser defensivamente sólida. Não importa o que as pessoas digam sobre mim como atacante, eu sempre quero defender meu jogo bem e estou desapontada por não ter feito isso da melhor forma possível”, desabafou.

Bronze e a Inglaterra entram em campo neste sábado, ao meio dia, contra a Suécia para decidir o terceiro lugar da Copa do Mundo.

Mais conteúdo sobre

Copa do Mundo Feminina