Conteúdo por Gazeta Esportiva

“Aprendi muito com ele”, diz Gabriel Jesus sobre Aguero, rival na semi

Atualizado

Aos 22 anos, Gabriel Jesus tem um grande espelho no Manchester City. Concorrendo por posição com o maior artilheiro da história do clube inglês, Kun Aguero, o ex-palmeirense se prepara para enfrentá-lo na semifinal da Copa América, na próxima terça-feira, às 21h30 (de Brasília), no Mineirão.

Desde quando chegou ao City, na segunda metade da temporada 2016/17, Gabriel Jesus já entrou em campo 100 vezes, porém, se acostumou a ficar na reserva de Aguero, algo natural, dada a história que o argentino possui no clube e a pouca experiência do brasileiro como profissional. Agora, ele quer mostrar ao mundo que, no Brasil, seu concorrente de posição não terá chances de levar a melhor.

“No momento que decidi deixar o Palmeiras e buscar evolução na Europa com o treinador que é o Guardiola, com os companheiros que hoje tenho no City, pensei em tudo isso. Antes de eu virar profissional eu via o Aguero na Premier League, fazendo gols, sendo artilheiro. Você ter um companheiro desse nível brigando por posição com você faz com que você aprenda muito. Ele é um cara gente boa, mas é ele defendendo o dele e eu defendendo o meu”, disse Gabriel Jesus.

Apesar de ser constantemente convocado pela Seleção Brasileira e jogar em um dos principais clubes do mundo, Gabriel Jesus passou por alguns apuros recentemente. Após a Copa do Mundo na Rússia, o atacante teve dificuldades para se recompor por conta das duras críticas recebidas e a frustrante eliminação para a Bélgica nas quartas de final.

“Depois do que aconteceu na Copa, individualmente falando, óbvio que passei por um momento complicado no City. No começo da temporada eu não estava bem, não jogava muito. As pessoas que estão comigo no meu dia a dia me ajudaram bastante, busquei um preparador físico para me ajudar, hoje está lá comigo, vem me ajudando bastante”, explicou Gabriel Jesus, dizendo o que mais trabalhou para melhorar nesses últimos tempos.

“Tenho buscado finalizar mais, minha média de finalização dentro de um jogo é muito baixa. Tinha vezes que eu saía do jogo sem finalizar, isso é muito pouco para um atacante. Isso mudou bastante, venho treinando muito, acho que isso é uma das principais coisas que foquei, a finalização, sempre buscar finalizar mais. Vejo os atacantes, o próprio Aguero, finalizando muito durante os jogos, então isso facilita”, completou.

Copa América