Árbitro da primeira partida da decisão de 1999 diz que federação não cumpriu acordo

Daniel Queiroz/ND

Osvaldo Meira Junior queria ter sido escalado para o segundo jogo

A decisão de 1999 ficou marcada por lances polêmicos da arbitragem no segundo jogo, no Orlando Scarpelli. Até hoje, o pênalti a favor do Figueirense marcado pelo árbitro Clésio Moreira dos Santos, o Margarida, e um gol do Avaí anulado pelo auxiliar Paulo Henrique de Godoy Bezerra são lembrados. O resultado foi o nono título catarinense do Alvinegro.

O que poucos lembram foi a atuação do árbitro Osvaldo Meira Júnior na primeira partida da final, na Ressacada. Um dos árbitros mais respeitados de Santa Catarina na década de 1990, Meira apitou o jogo de ida sem nenhuma polêmica e ainda guarda a mágoa de não ter sido escalado para o segundo confronto.

Segundo ele, havia um acordo entre ele, a FCF (Federação Catarinense de Futebol) e o próprio Clésio. Antes do sorteio para o primeiro duelo, todos concordaram manter o árbitro sorteado para apitar também a segunda partida, caso não houvesse nenhum problema no jogo de ida. “Até hoje não sei por quê desistiram de me manter no segundo jogo. Naquele momento, éramos unanimidade como o melhor trio de arbitragem do campeonato. O Margarida, inclusive, atuou como meu assistente”, lembrou.

O ex-árbitro duvida até que tenha havido, de fato, um sorteio para definir a arbitragem para a segunda partida. “Os sorteios costumavam ser no chapéu do Delfim (presidente da federação). Ver eu não vi. Estava no vestiário. Mas depois não aceitei nem entrar para o sorteio de auxiliar daquele jogo”, revelou.

Apesar de não condenar o ex-companheiro de profissão por nenhum lance específico, na opinião de Meira Clésio cometeu alguns erros determinantes para a vitória do Figueirense. “Errar, todo mundo erra. Não dá para falar deste ou daquele lance. Mas se analisarmos o jogo, o todo, vamos perceber várias coisas nesse sentido”, afirmou.

Auxiliar que anulou gol do Avaí volta a apitar clássico na final

Treze anos depois, o árbitro Paulo Henrique de Godoy Bezerra voltará a atuar em um clássico entre Avaí e Figueirense, na final do Catarinense. Bezerra venceu o sorteio com Bráulio da Silva Machado e terá como assistentes José Roberto Larroyd e Eder Alexandre.

Auxiliar de Clésio Moreira dos Santos, o Margarida, na decisão de 1999, Bezerra anulou um gol do Avaí para desespero dos avaianos, que reclamam até hoje da marcação equivocada.

Mais experiente, atualmente Bezerra é um dos árbitros com mais prestígio junto à Federação Catarinense de Futebol e apitou o segundo jogo da semifinal entre Avaí e Chapecoense, em Chapecó.

Futebol