Arena Condá amanhece com faixas de protesto após derrota da Chapecoense

Atualizado

A goleada sofrida para o Ceará por 4 a 1, no sábado, irritou profundamente a torcida da Chapecoense e a insatisfação foi demonstrada em forma de protesto na manhã desse domingo, na Arena Condá, em Chapecó.

Faixas esticadas na fachada do estádio faziam ataques ao presidente Plínio David de Nes Filho e ao conselho deliberativo do clube.

Faixas de protesto contra a diretoria na Arena Condá – Rodrigo Goulart/Diário do Iguaçu/ND

Uma das manifestações pedia a saída de Maninho, como é conhecido o mandatário verde. Em outra, o protesto é contra conselheiros, que pensam em vender mandos de campo de jogos contra o Flamengo e Corinthians: “A ACF não está à venda. Respeite o sócio”.

A Chapecoense vive o seu pior momento desde que ascendeu à Série A em 2013 e ocupa a 18ª posição, com apenas dez pontos. O Verdão amarga ainda a pior defesa da competição, com 27 gols sofridos.

Além da crise em campo, fora dele a situação também é delicada. De acordo com o jornalista Rodrigo Goulart, do jornal Diário do Iguaçu, os salários referentes a julho ainda não foram pagos e a expectativa é de que sejam regularizados nessa semana.

Existe também a expectativa de o clube receber cerca de R$6 milhões por causa da venda do goleiro Jandrei ao Genoa (ITA), porém, o clube italiano deseja parcelar o pagamento e enquanto isso nada de pingar na conta do Verdão.

Faixas de protesto contra a diretoria na Arena Condá – Rodrigo Goulart/Diário do Iguaçu/ND

Faixas de protesto contra a diretoria na Arena Condá – Rodrigo Goulart/Diário do Iguaçu/ND

Faixas de protesto contra a diretoria na Arena Condá – Rodrigo Goulart/Diário do Iguaçu/ND

Mais conteúdo sobre

Futebol