Conteúdo por Gazeta Esportiva

ATP Cup tem grupos definidos com duelo entre ex-números 1 do mundo

O tênis ganhará, a partir do próximo ano, mais um torneio em seu calendário para o delírio dos amantes da modalidade. A ATP Cup, que funcionará ao estilo da atual Copa Davis, teve seus grupos sorteados nesta segunda-feira e, logo de cara, colocará frente a frente Suíça e Grã-Bretanha, dos ex-números 1 do mundo Roger Federer e Andy Murray.

O grupo A é formado por Sérvia, França, África do Sul e mais um time a ser definido, enquanto o B é composto por Espanha, Japão, Georgia e mais uma seleção. O grupo C tem Suíça, Bélgica, Grã-Bretanha e mais um time, enquanto o D fecha com Rússia, Itália, Estados Unidos e mais um. Já o E é composto por Áustria, Croácia, Argentina e mais uma seleção, fechando o grupo F com Alemanha, Grécia, Canadá e Austrália, a anfitriã.

Dessa forma, o atual número 1 do mundo, o sérvio Novak Djokovic, estará no grupo A, enquanto Rafael Nadal, atual campeão do US Open e número 2 do mundo está no grupo B. Ainda há outros nomes importantes que disputarão o torneio, como os franceses Gael Monfils e Benoit Paire, o sul-africano Kevin Anderson, o japonês Kei Nishikori, o alemão Alexander Zverev e os canadenses Milos Raonic e Felix Auger-Aliassime, entre outros.

A disputa será entre os dias 3 e 12 de janeiro no formato de grupos, com um total de 24 seleções divididas em seis chaves. Os confrontos serão divididos entre três cidades australianas: os grupos A e F jogam em Brisbane; B e D em Perth, e C e E em Sidney. A premiação será de US$ 15 milhões no total e pode dar até 750 pontos no ranking de simples e 250 no de duplas.

É importante lembrar que o sistema de classificação acontece pelo ranking da ATP, com os jogadores melhores classificados garantindo a participação do seu país, como Djokovic com a Sérvia, Nadal com a Espanha, e assim por diante.

Os outros integrantes de cada seleção também serão escolhidos de acordo com seus rankings – serão cinco integrantes em cada time. Por conta disso, dificilmente o Brasil entraria na disputa, visto que Thiago Monteiro, o melhor classificado, é apenas o 103º do mundo.

Mais conteúdo sobre

Tênis