Augusto Inácio diz que faltou “força física e mental” para reagir na Copa do Brasil

Atualizado

O técnico Augusto Inácio, em entrevista coletiva concedida após a eliminação na Copa do Brasil, lamentou as “oportunidades desperdiçadas” do seu jogo. Na avaliação do comandante azurra, o time criou o suficiente, mas foi punido pelo desperdício do setor ofensivo.

O Avaí foi derrotado pelo placar de 2 a 0, em Araraquara (SP), e deu adeus à Copa do Brasil 2020.

Valdívia, assim como o resto do time, sucumbiu à Ferroviária. Avaí fora da Copa do Brasil 2020. Foto: Marcos Limonti/Altaphoto/Estadão Conteúdo

O comandante do Leão da Ilha, embora a tristeza pela eliminação, entendeu como “um bom jogo” da equipe. Ao ser questionado sobre a falta de poder de reação o luso entendeu que faltou “força física e mental” para o empate e a virada.

“A falha foi não termos marcado primeiro, várias vezes tivemos a chance, mas faltou o gol para dar o ânimo ao que estávamos a fazer”, analisou.

Melhor desempenho

Augusto Inácio também fez “mea-culpa” ao admitir que esperava “melhores resultados” já a essa altura da temporada.

Até aqui são 7 jogos com duas vitórias, um empate e quatro derrotas. O aproveitamento do comandante, nesse momento, é de 33,3%.

Leia também

O Leão da Ilha, nessas participações, só anotou gols diante do Marcílio Dias e do Figueirense, por sinal as duas vitórias da equipe até aqui.

O grupo de jogadores retorna imediatamente a Florianópolis e se reapresenta já na manhã desta sexta-feira para o duelo contra o Joinville, no estádio da Ressacada.

Pressão aumenta

Permanência de Augusto Inácio a frente do Avaí já é repensada uma vez que, segundo relatado em entrevista concedida pelo gerente de futebol, Marquinhos Santos, é que vai haver cobrança sobre a comissão técnica e grupo de jogadores.

Futebol