Avaí e Figueira se alternam na tabela da Série B desde o começo do campeonato

Clássico AVA x FIG - Divulgação/ND

Apesar de se encaixar em quase todos os momentos do cotidiano, a expressão “Parece que o jogo virou, não é mesmo” se aplica em cheio à dupla da Capital. O popular meme (expressão da internet usada para descrever um conceito de imagens, vídeos e/ou relacionados ao humor), sugere uma inversão de papeis entre os envolvidos.

. - Editoria de arte/ND
. – Editoria de arte/ND

O clássico entre Avaí e Figueirense, marcado para este sábado, às 16h30, na Ressacada, é só mais uma condição do cotidiano passível dessa expressão.

No primeiro encontro entre as equipes, válido pelo turno da competição, o Figueirense era 5º colocado, o então anfitrião, com três vitórias e uma derrota, além de viver os reflexos do 18º título de Santa Catarina. Um time afirmado.

O adversário azurra, por outro lado, vinha de sucessivas turbulências. Sem conseguir vencer dentro de sua própria casa, o Avaí recém trocara o comando técnico e somara apenas uma vitória. Era apontado, inclusive, à luta contra o rebaixamento para Série C.

Quase quatro meses depois, segmentados em 20 rodadas, a situação é a inversa. O Avaí sustenta a maior invencibilidade recente da competição, há nove jogos sem perder, além de computar o menor número de derrotas entre todos os participantes da Segundona. Consolidado no pelotão de cima, terá a chance de abrir oito pontos para o rival – evidentemente em caso de vitória – e ir atrás da inédita taça.

O Figueirense, com muitos altos e baixos desde então, não conseguiu se firmar no bloco de cima. Esteve no grupo dos quatro, é verdade, mas os seguidos tropeços – sobretudo em casa – afastaram o Furacão das posições iniciais.

Mais conteúdo sobre

Futebol